Avicena - Avicenna


Da Wikipédia, a enciclopédia livre
Avicena
Ibn Sina  ابن سینا
Avicena Retrato em Vaso de prata - Museu de Buali Sina (Avicena) Mausoleum - Hamadan - Ocidental Iran (7423560860) .jpg
Retrato moderno convencional (em um vaso de prata, Avicena Mausoléu e Museu , Hamadan )
Nascermos c. 980
Afshona, Bukhara , Samânidas (agora na atual Uzbequistão )
Morreu junho 1037
Residência
Outros nomes
  • Sharaf al-Mulq
  • Hujjat al-Haq
  • Sheikh al-Rayees
  • Ibn-Sino (Abu Ali Abdulloh Ibn-Sino)
  • Bu Ali Sina ( بو علی سینا )
experiência acadêmica
influências
Trabalho acadêmico
Era Idade de Ouro islâmica
interesses principais
trabalhos notáveis
Influenciado

Avicena ( / ˌ æ v ɪ s ɛ n ə / ; também Ibn Sina ou Abu Ali Sina ; persa : ابن سینا .; C  980  - junho de 1037) foi um persa polímata que é considerado como um dos médicos mais significativos, astrônomos, pensadores e escritores da Idade de Ouro islâmica . Ele tem sido descrito como o pai da medicina moderna. Das 450 obras que ele é conhecido por ter escrito, em torno de 240 sobreviveram, incluindo 150 em filosofia e 40 em medicina.

Seus trabalhos mais famosos são O Livro da Cura , uma enciclopédia filosófica e científica, e A Canon de Medicina , uma enciclopédia médica que se tornou um texto médico padrão em muitos medievais universidades e permaneceu em uso tão tarde quanto 1650. Em 1973, de Avicena Canon Of medicina foi reimpresso em Nova York.

Além filosofia e medicina, corpus de Avicena inclui escritos sobre astronomia , a alquimia , geografia e geologia , psicologia , teologia islâmica , lógica , matemática , física e obras de poesia .

Nome

Avicena é uma corrupção Latina do árabe patronym Ibn Sina ( ابن سينا ), que significa "Filho de Sina", uma rara persa masculino determinado nome de etimologia incerta. No entanto, Avicena não era o filho, mas o grande-grande-neto de um homem chamado Sina. Seu nome completo foi Abu'Alī al-Ḥusayn ibn'Abd ibn al-Hasan ibn'Alī ibn Sina ( أبو علي الحسين بن عبد الله بن الحسن بن علي بن سينا ).

Circunstâncias

Ibn Sina criou um extenso corpus de obras durante o que é comumente conhecida como a idade de ouro islâmica, em que as traduções dos greco-romana , persa e indiana textos foram estudados extensivamente. Greco-romana ( Mid- e Neo-platônicos e aristotélicos ) textos traduzidos pela Kindi escola foram comentou, redigido e desenvolvido substancialmente por intelectuais islâmicos, que também construídos sobre persa e indiana matemática sistemas, astronomia , álgebra , trigonometria e medicina . A dinastia Samanid na parte oriental de Persia , Greater Khorasan e na Ásia Central, bem como a dinastia buaihida na parte ocidental da Pérsia e o Iraque forneceu um ambiente próspero para o desenvolvimento acadêmico e cultural. Sob os Samanids, Bukhara rivalizava Bagdá como um capital cultural do mundo islâmico .

O estudo do Alcorão e o Ditos floresceu em uma atmosfera como académica. Filosofia, Fiqh e teologia ( kalaam ) foram desenvolvidos, mais notavelmente por Avicenna e seus oponentes. Al-Razi e Al-Farabi havia fornecido metodologia e conhecimento em medicina e filosofia. Avicena teve acesso às grandes bibliotecas de Balkh , Khwarezm , Gorgan , Rey , Isfahan e Hamadan . Vários textos (como o 'Ahd com Bahmanyar) mostram que ele debateu pontos filosóficos com as maiores estudiosos da época. Aruzi Samarqandi descreve como antes Avicena deixou Khwarezm ele conheceu Al-Biruni (um famoso cientista e astrônomo), Abu Nasr Iraque (um renomado matemático), Abu Sahl Masihi (um filósofo respeitado) e Abu al-Khayr Khammar (a grande médico) .

Biografia

Vida pregressa

Avicena nasceu c.  980 em Afshana, uma aldeia perto de Bukhara (na atual Uzbequistão ), o capital social da Samanids , um persa dinastia na Ásia Central e Grande Khorasan . Sua mãe, chamado Sitara, foi a partir de Bukhara; seu pai, Abdullah, era um respeitado Ismaili estudioso de Balkh , uma cidade importante do Samânidas , no que é hoje Província de Balkh , Afeganistão . Seu pai trabalhou no governo de Samanid na aldeia Kharmasain, um sunita poder regional. Após cinco anos, seu irmão mais novo, Mahmoud, nasceu. Avicena começou a aprender o Alcorão e na literatura de tal forma que, quando ele tinha dez anos de idade ele tinha essencialmente aprendeu todos eles.

De acordo com sua autobiografia, Avicena tinha memorizado o Alcorão inteiro pela idade de 10. Ele aprendeu aritmética indiana de um indiano verdureiro, Mahmoud Massahi e ele começou a aprender mais com um erudito errante que ganhou um sustento por curar os doentes e ensinando o jovem . Ele também estudou Fiqh (jurisprudência islâmica), sob o sunita Hanafi estudioso Ismail al-Zahid. Avicena foi ensinado alguma medida de livros de filosofia, como Introdução ( Isagoge ) 's Porfírio (filósofo) , Elementos de Euclides , Ptolomeu ' s Almagesto por um filósofo impopular, Abu Abdullah Nateli, que alegou filosofar.

Como um adolescente, ele estava muito perturbado pelos Metafísica de Aristóteles , que ele não conseguia entender até que ele leu al-Farabi comentário 's sobre o trabalho. Para o próximo ano e meio, estudou filosofia, na qual ele encontrou maiores obstáculos. Em tais momentos de inquérito perplexo, ele deixaria seus livros, realizar as necessárias abluções , em seguida, ir à mesquita, e continuar em oração até que a luz quebrou em suas dificuldades. Até tarde da noite, ele iria continuar seus estudos, e até mesmo em seus sonhos problemas iria persegui-lo e trabalhar a sua solução. Quarenta vezes, diz-se, leu através dos Metafísica de Aristóteles, até que as palavras foram impressas em sua memória; mas seu significado foi irremediavelmente obscura, até que um dia eles encontraram iluminação, do pequeno comentário por Farabi , que ele comprou em um quiosque de livros para a pequena soma de três dirhams. Tão grande era a sua alegria com a descoberta, feita com a ajuda de um trabalho a partir do qual ele esperava único mistério, que ele apressou-se a voltar, graças a Deus, e esmolas concedido ao pobre.

Ele virou-se para a medicina aos 16 anos, e não só aprendeu teoria médica, mas também pelo atendimento gratuito do doente tinha, de acordo com seu próprio relato, descobriu novos métodos de tratamento. O adolescente alcançou o status completo como um médico qualificado aos 18 anos, e descobriu que "Medicina não é ciência dura e espinhosa, como matemática e metafísica, então eu logo fez grande progresso; eu me tornei um excelente médico e começou a tratar os pacientes, utilizando-se aprovado remédios ". fama do médico jovem espalhou-se rapidamente, e ele tratou muitos pacientes sem pedir pagamento.

Uma série de teorias foram propostas a respeito de Avicena madhab (escola de pensamento dentro de jurisprudência islâmica). Historiador medievais ZAHIR al-Din al-Bayhaqi (d. 1,169) considerado Avicenna ser um seguidor da irmãos de pureza . Por outro lado, Dimitri Gutas juntamente com Aisha Khan e Jules J. Janssens demonstrado que era um Avicenna Sunitas hanafita . No entanto, o século 14 Shia faqih Nurullah Shushtari acordo com Seyyed Hossein Nasr , sustentou que ele era mais provável um Twelver Shia . Por outro lado, Sharaf Khorasani , citando uma rejeição de um convite do Governador sunita Sultan Mahmoud Ghazanavi por Avicena à sua corte, acredita que Avicena foi um Ismaili . Existem discordâncias similares sobre o fundo de família de Avicena, enquanto alguns escritores considerou-os sunitas, alguns escritores mais recentes impugnada que eles eram xiitas.

maioridade

Um desenho de Avicenna

Primeira nomeação de Ibn Sina foi a de médico do emir , Nuh II , que lhe devia sua recuperação de uma doença perigosa (997). Recompensa chefe de Ibn Sina para este serviço foi o acesso à biblioteca real do Samanids, patronos da bolsa de estudos e estudiosos bem conhecidos. Quando a biblioteca foi destruída pelo fogo não muito tempo depois, os inimigos de Ibn Sina o acusou de queimá-lo, para que nunca para esconder as fontes de seu conhecimento. Enquanto isso, ele ajudou seu pai em seus trabalhos financeiros, mas ainda encontrou tempo para escrever algumas das suas primeiras obras.

Quando Ibn Sina tinha 22 anos, ele perdeu o pai. A dinastia Samanid chegou ao seu fim em Dezembro de 1004. Ibn Sina parece ter diminuído as ofertas de Mahmud de Ghazni , e prosseguiu para o oeste para Urgench na moderna Turcomenistão , onde o vizir , considerado como um amigo de estudiosos, deu-lhe uma pequena bolsa mensal . O salário era pequeno, no entanto, assim Ibn Sina vagou de um lugar para outro através dos distritos de Nishapur e Merv às fronteiras de Khorasan , procurando uma abertura para seus talentos. Qabus , o generoso governante do Tabaristão , ele próprio um poeta e um estudioso, com quem Ibn Sina esperava encontrar asilo, estava falando essa data (1012) morreram de fome por suas tropas que tinham se revoltaram. O próprio Ibn Sina foi neste momento acometido por uma doença grave. Finalmente, em Gorgan , perto do Mar Cáspio , Ibn Sina reuniu-se com um amigo, que comprou uma casa perto de sua própria casa em que Ibn Sina palestras sobre lógica e astronomia . Vários dos tratados de Ibn Sina foram escritos para este patrono; eo início de sua Canon de Medicina também data de sua estadia em Hyrcania .

Ibn Sina, posteriormente, estabeleceu-se em Rey , nos arredores da moderna Teerã , a cidade natal de Rhazes ; onde Majd Addaula , um filho do último Buwayhid emir, que era chefe nominal sob a regência de sua mãe ( Seyyedeh Khatun ). Cerca de trinta dos trabalhos mais curtos de Ibn Sina são disse ter sido composta em Rey. Rixas constantes que durou entre o regente e seu segundo filho, Shams al-Daula , no entanto, obrigou o estudioso para sair do lugar. Depois de uma breve estada em Qazvin ele passou para o sul para Hamadan, onde Shams al-Daula, outro emir Buwayhid, havia se estabelecido. Na primeira, Ibn Sina entraram no serviço de uma senhora bem-nascida; mas o emir, ouvindo de sua chegada, chamou-o como médico assistente, e mandou-o de volta com presentes para a sua habitação. Ibn Sina foi sequer levantada para o cargo de vizir. O emir decretou que ele deveria ser banido do país. Ibn Sina, no entanto, permaneceu escondido durante quarenta dias na casa do xeque Ahmed Fadhel, até que um novo ataque de doença induzida o emir para restaurá-lo ao seu posto. Mesmo durante este tempo perturbado, Ibn Sina perseverou com seus estudos e ensino. Todas as noites, extratos de suas grandes obras, a Canon ea Sanatio , foram ditadas e explicou a seus alunos. Com a morte do emir, Ibn Sina deixou de ser vizir e escondeu-se na casa de um boticário , onde, com intensa assiduidade, ele continuou a composição de suas obras.

Enquanto isso, ele tinha escrito para Abu Ya'far, o prefeito da cidade dinâmica de Isfahan , oferecendo seus serviços. O novo emir de Hamadan, ouvindo desta correspondência e descobrir onde Ibn Sina estava escondido, preso ele em uma fortaleza. Guerra, entretanto, continuou entre os governantes de Isfahan e Hamadan; em 1024 o antigo capturado Hamadan e suas aldeias, expulsando os mercenários tajiques. Quando a tempestade passou, Ibn Sina voltou com o emir para Hamadan, e continuou seus trabalhos literários. Mais tarde, no entanto, acompanhado por seu irmão, um aluno favorito, e dois escravos, Ibn Sina escapou da cidade no vestido de um Sufi ascética . Após uma perigosa viagem, eles chegaram Isfahan, recebendo uma recepção honrosa do príncipe.

Vida posterior e morte

A primeira página de um manuscrito do de Avicena Canon , datada de 1596/7 (Yale, Biblioteca Histórica Medical, ms Cushing árabes. 5)
Lápide de Avicena, Hamedan , Iran

Os restantes dez ou doze anos da vida de Ibn Sina foram gastos no serviço do Kakuyid governante Muhammad ibn Rustam Dushmanziyar (também conhecido como Ala al-Dawla), a quem acompanhou como médico e conselheiro literário e científico geral, mesmo em suas inúmeras campanhas .

Durante esses anos, ele começou a estudar assuntos literários e filologia , instigado, afirma-se, por críticas sobre seu estilo. Um grave cólicas , o que lhe aproveitaram a marcha do exército contra Hamadan, foi verificada por remédios tão violentos que Ibn Sina mal podia ficar de pé. Em uma ocasião semelhante a doença voltou; com dificuldade ele chegou Hamadan, onde, encontrando a doença ganhando terreno, ele se recusou a manter-se o regime de imposto, e se resignou a seu destino.

Seus amigos o aconselharam a abrandar e ter vida moderadamente. Ele se recusou, no entanto, afirmando que: "Eu prefiro uma vida curta com largura para um estreito com o comprimento" . Em seu leito de morte remorso agarrou-o; ele concedeu os seus bens com os pobres, restaurado ganhos injustos, libertou seus escravos, e ler o Alcorão a cada três dias até sua morte. Ele morreu em junho de 1037, em seu quinquagésimo oitavo ano, no mês de Ramadã e foi enterrado em Hamadan , Iran.

Filosofia

Ibn Sina escreveu extensivamente sobre filosofia islâmica cedo , especialmente a assuntos lógica , ética e metafísica , incluindo tratados chamados Logic e Metafísica . A maioria de suas obras foram escritas em árabe  -, então a linguagem da ciência no Oriente Médio - e alguns em persa . De significância lingüística até hoje estão alguns livros que ele escreveu em língua persa quase puro (particularmente o Danishnamah-yi 'Ala', Filosofia para Ala 'ad-Daula'). Os comentários de Ibn Sina sobre Aristóteles muitas vezes criticado o filósofo, incentivando um debate animado no espírito de ijtihad .

De Avicena neoplatônico esquema das "emanações" tornou-se fundamental na Kalam (escola do discurso teológico) no século 12.

Seu Livro de cura tornou-se disponível na Europa em tradução parcial Latina cerca de cinquenta anos após sua composição, sob o título Sufficientia , e alguns autores identificaram uma "Avicennism Latina", como florescente por algum tempo, em paralelo com o mais influente averroísmo Latina , mas suprimida por os decretos de Paris de 1210 e 1215 .

Psicologia e teoria do conhecimento de Avicena influenciado William de Auvergne, bispo de Paris e Albertus Magnus , enquanto sua metafísica influenciado o pensamento de Tomás de Aquino .

doutrina metafísica

Filosofia e islâmicos primeiros islâmicos metafísica , imbuídos como é com teologia islâmica , distingue mais claramente do que o aristotelismo entre essência e existência. Considerando a existência é o domínio do contingente e acidental, a essência permanece dentro de um ser além do acidental. A filosofia de Ibn Sina, particularmente a parte relativa à metafísica, deve-se muito para al-Farabi. A busca de uma filosofia islâmica definitiva separado do Ocasionalismo pode ser visto no que resta do seu trabalho.

Seguindo a liderança da Al-Farabi, Avicena iniciou um inquérito de pleno direito na questão do ser, no qual ele distingue entre essência ( Mahiat ) e existência ( Wujud ). Ele argumentou que o fato da existência não pode ser inferida a partir de ou contabilizada pela essência das coisas existentes, e que forma e matéria por si só não pode interagir e originam o movimento do universo ou a actualização progressiva das coisas existentes. Existência deve, portanto, ser devido a um agente de causa que necessita, dá, dá, ou adiciona existência de uma essência. Para isso, a causa deve ser uma coisa existente e coexistir com o seu efeito.

A análise da questão de essência-atributos de Avicena pode ser elucidado em termos de sua análise ontológica das modalidades de ser; ou seja impossibilidade, contingência e necessidade. Avicena argumentou que o ser impossível é o que não pode existir, enquanto o contingente em si ( mumkin bi-dhatihi ) tem a potencialidade de ser ou não ser, sem implicar uma contradição. Quando atualizado, o contingente se torna um 'existente necessário devido ao que é diferente de si mesmo' ( wajib al-wujud bi-ghayrihi ). Assim, contingência em si um potencial beingness que poderia, eventualmente, ser realizado por uma causa externa que não seja em si. As estruturas metafísicas da necessidade e contingência são diferentes. Ser necessário devido a si mesmo ( wajib al-wujud bi-dhatihi ) é verdadeira em si, enquanto o ser contingente é 'falsa em si mesmo' e 'verdadeiro devido a outra coisa diferente de si mesmo'. O necessário é a fonte de seu próprio ser, sem existência emprestado. É o que sempre existe.

A Necessary existe 'due-to-Its-Auto', e não tem quiddity / essência ( mahiyya ) diferente de existência ( wujud ). Além disso, é 'One' ( wahid ahad ) uma vez que não pode haver mais do que um 'necessário-Existente-devido-a-Si' sem diferenciação (FasL) para os distinguir um do outro. No entanto, para exigir diferenciação implica que eles existem 'para due--se', bem como 'devido ao que é diferente de si mesmos'; e isso é contraditório. No entanto, se há diferenciação distingue um do outro, então não há nenhum sentido em que estes 'Existentes' não são uma ea mesma coisa. Avicena acrescenta que o 'Necessary-Existente-due-a-si' não tem gênero ( jins ), nem uma definição ( hadd ), nem uma contrapartida ( Nadd ), nem um oposto ( fez ), e é separada ( bari ) a partir de matéria ( madda ), qualidade ( kayf ), quantidade ( kam ), local ( ayn ), situação ( maço ) e tempo ( waqt ).

A teologia de Avicena sobre questões metafísicas ( ilāhiyyāt ) tem sido criticado por alguns estudiosos islâmicos , entre eles al-Ghazali , Ibn Taymiyyah e Ibn al-Qayyim . Ao discutir as vistas das theists entre os filósofos gregos, nomeadamente Sócrates , Plato , e Aristóteles em Al-Munqidh min ad-Dalal ( "Libertação de Erro"), al-Ghazãli notar-se que os filósofos gregos "deve ser tributado com incredulidade, tal como os seus partidários entre os filósofos muçulmanos, como Ibn Sina e al-Farabi e seus gostos ". Ele acrescentou que "Nenhum, porém, dos filósofos muçulmanos envolvidos tanto na transmissão de conhecimento de Aristóteles como fizeram os dois homens que acabamos de mencionar. [...] A soma do que nós consideramos como a autêntica filosofia de Aristóteles, como transmitido por al- Farabi e Ibn Sina, pode ser reduzido para três partes: uma parte que deve ser marcado como incredulidade, uma parte que deve ser estigmatizado como inovação; e uma parte que não precisa ser repudiada em tudo.

Argumento para a existência de Deus

Avicena fez um argumento para a existência de Deus , que viria a ser conhecido como a " Prova do Verdadeiro " ( árabe : al-Burhan al-siddiqin ). Avicena argumenta que deve haver uma "existente necessário" (em árabe: wajib al-wujud ), uma entidade que não pode não existir e por uma série de argumento, ele identificou com Deus do Islã . Atual historiador da filosofia Peter Adamson chamado este argumento um dos argumentos medievais mais influentes da existência de Deus, e maior contribuição de Avicena à história da filosofia.

Al-Biruni correspondência

Correspondência entre Ibn Sina (com seu aluno Ahmad ibn 'Ali al-Ma'sumi) e Al-Biruni sobreviveu em que debateram aristotélico filosofia natural e da escola peripatética . Abu Rayhan começou perguntando Avicena dezoito perguntas, dez dos quais eram críticas de Aristóteles Sobre os Céus .

Teologia

Avicena era um muçulmano devoto e procurou conciliar a filosofia racional com a teologia islâmica. Seu objetivo era provar a existência de Deus e Sua criação do mundo cientificamente e através de razão e lógica . Visualizações de Avicena sobre teologia islâmica (e filosofia) foram enormemente influente, que fazem parte do núcleo do currículo das escolas religiosas islâmicas até o século 19. Avicena escreveu uma série de tratados curtos que lidam com teologia islâmica. Esses tratados incluído no profetas (a quem ele via como "filósofos inspirados"), e também sobre várias interpretações científicas e filosóficas do Alcorão, tais como a forma do Alcorão cosmologia corresponde ao seu próprio sistema filosófico. Em geral, estes tratados ligados seus escritos filosóficos de idéias religiosas islâmicas; por exemplo, vida após a morte do corpo.

Há indícios breves ocasionais e alusões na sua já não funciona, porém, que Avicena considerada a filosofia como a única maneira sensata de distinguir profecia real a partir de ilusão. Ele não afirmou isso mais claramente por causa das implicações políticas de tal teoria, se é profecia poderia ser questionada, e também porque a maior parte do tempo ele estava escrevendo trabalhos mais curtos que concentrou em explicar suas teorias sobre filosofia e teologia com clareza, sem divagar para considerar epistemológicas assuntos que só poderia ser devidamente considerados por outros filósofos.

Interpretações posteriores do desdobramento filosofia de Avicena em três escolas diferentes; aqueles (como al-Tusi ), que continuou a aplicar a sua filosofia como um sistema para interpretar os acontecimentos políticos posteriores e avanços científicos; aqueles (como al-Razi ) que considerou obras teológicas de Avicena isoladamente de suas preocupações filosóficas mais amplas; e aqueles (como al-Ghazali ) que usou seletivamente partes de sua filosofia para apoiar as suas próprias tentativas de obter maiores conhecimentos espirituais através de uma variedade de meios místicos. Foi a interpretação teológicas defendido por aqueles, tais como Al-Razi que, eventualmente, entrou para predominam nos madrasahs .

Avicena memorizado o Alcorão por dez anos de idade, e como um adulto, ele escreveu cinco tratados comentando sobre suras do Alcorão. Um desses textos incluídos na Prova de Profecias , no qual ele comenta sobre vários versículos do Alcorão e detém o Alcorão em alta estima. Avicena argumentou que os profetas islâmicos devem ser considerados mais elevados do que os filósofos.

experiências de pensamento

Enquanto ele estava preso no castelo de Fardajan perto Hamadhan, Avicena escreveu seu famoso " Homem que flutua " - literalmente caindo homem - experimento pensado para demonstrar humano auto-consciência e a substancialidade e imaterialidade da alma. Avicena acreditava que seu "Homem que flutua" experimento mental demonstrou que a alma é uma substância, e reivindicou os humanos não podem duvidar de sua própria consciência, mesmo em uma situação que impede toda a entrada de dados sensoriais. O experimento de pensamento disse aos seus leitores a imaginar-se criado de uma só vez, enquanto suspenso no ar, isolado de todas as sensações , que inclui nenhum contato sensorial com até mesmo os seus próprios corpos. Ele argumentou que, neste cenário, ainda teria a auto-consciência . Porque é concebível que uma pessoa, suspensas em enquanto o ar cortado da experiência sensorial , ainda seria capaz de determinar sua própria existência, a experiência mental aponta para as conclusões que a alma é uma perfeição, independente do corpo, e um imaterial substância. O conceptibilidade deste "Homem que flutua" indica que a alma é percebido intelectualmente, o que implica a separação da alma do corpo. Avicena referiu-se ao ser humano vivo inteligência , particularmente o intelecto ativo , que ele acredita ser o hipóstase pelo qual Deus se comunica a verdade para a mente humana e confere ordem e inteligibilidade da natureza. A seguir está uma tradução em Inglês do argumento:

Um dos nós (ou seja, um ser humano) deve ser imaginado como tendo sido criado num acidente vascular cerebral; criado perfeito e completo, mas com sua visão obscurecida por isso que ele não pode perceber entidades externas; criado caindo através do ar ou um vazio, de tal forma que ele não está impressionado com a firmeza do ar de qualquer maneira que o compele a sentir isso, e com seus membros separados de modo que eles não entram em contato com ou tocam de outros. Então contemplar o seguinte: ele pode ter certeza da existência de si mesmo? Ele não tem qualquer dúvida em que existe a sua auto, sem afirmar, assim, que ele tem nenhum dos membros exteriores, nem quaisquer órgãos internos, nem coração nem cérebro, nem qualquer uma das coisas exteriores em tudo; mas sim que ele pode afirmar a existência de si mesmo, sem afirmar, assim, há que este auto tem qualquer extensão no espaço. Mesmo se fosse possível para ele nesse estado imaginar uma mão ou qualquer outro membro, ele não poderia imaginar como sendo uma parte de seu self, nem como condição para a existência de que a auto; para que você saiba o que é afirmado é diferente daquilo que não é afirmado, e aquilo que é inferida é diferente daquilo que não é inferida. Portanto, o self, cuja existência tem sido afirmado, é uma característica única, na medida em que não é, como tal, o mesmo que o corpo ou os membros, que não foram apurados. Assim, o que é verificado (ou seja, o self), tem uma forma de estar certo da existência da alma como algo diferente do que o corpo, mesmo algo não-físico; isso ele sabe, isso ele deve compreender intuitivamente, se é que ele ignora-lo e precisa ser batido com um pau [para realizá-lo].

-  Ibn Sina, Kitab al-Shifa, On the Soul

No entanto, Avicena postulou o cérebro como o lugar onde a razão interage com sensação. Sensation prepara a alma para receber conceitos racionais do intelecto agente universal. O primeiro conhecimento da pessoa voando seria "eu sou", afirmando a sua essência. Essa essência não poderia ser o corpo, obviamente, como a pessoa voando não tem sensação. Assim, o conhecimento de que "eu sou" é o núcleo de um ser humano: a alma existe e é auto-consciente. Avicena concluiu, portanto, que a idéia do auto não é logicamente dependente de qualquer física coisa , e que a alma não deve ser visto em termos relativos , mas como um dado primário, uma substância . O corpo é desnecessária; em relação a ele, a alma é a sua perfeição. Em si, a alma é uma substância imaterial.

O Canon de Medicina

Manuscrito do século 12 Canon , mantido na Academia Nacional de Ciências Azerbaijão .

Avicena autor de um de cinco volumes enciclopédia médica: A Canon de Medicina ( Al-Qanun fi't-Tibb ). Foi usado como livro de texto médico padrão no mundo islâmico e na Europa até o século 18. A Canon ainda desempenha um papel importante na medicina Unani .

Liber Primus Naturalium

Avicena considerou se eventos como doenças raras ou doenças têm causas naturais. Ele usou o exemplo de polidactilia para explicar sua percepção de que existem razões causais para todos os eventos médicos. Este ponto de vista dos fenômenos médica desenvolvimentos previstos no Iluminismo por sete séculos.

O Livro da Cura

Ciências da Terra

Ibn Sina escreveu em Ciências da Terra , tais como geologia em O Livro da Cura . Ao discutir a formação de montanhas , ele explicou:

Ou eles são os efeitos do distúrbio da crosta da Terra, como pode ocorrer durante um violento terremoto, ou eles são o efeito da água, o que, em si cortar uma nova rota, foi desnudada os vales, o ser camadas de diferentes tipos , alguns suave, alguns difícil ... seria necessário um longo período de tempo para todas essas mudanças a serem realizadas, durante o qual as próprias montanhas pode ser um pouco diminuída em tamanho.

Filosofia da ciência

No Al-Burhan ( On Demonstração ) seção de O Livro da Cura , Avicena discutiu a filosofia da ciência e descreveu um início método científico de investigação . Ele discute de Aristóteles Posterior Analytics e significativamente divergiram dele em vários pontos. Avicena discutiu a questão de uma metodologia adequada para a investigação científica e a questão de "Como se adquirir os primeiros princípios de uma ciência?" Ele perguntou como um cientista chegaria a "as iniciais axiomas ou hipóteses de um dedutivo ciência sem inferir-los de algumas premissas mais básicas?" Ele explica que a situação ideal é quando se apreende que uma "relação se mantém entre os termos, o que permitiria a absoluta certeza, universal". Avicenna, em seguida, adiciona mais dois métodos para chegar aos primeiros princípios : o antigo método aristotélico de indução ( istiqra ), e o método de análise e experimentação ( tajriba ). Avicena criticado indução aristotélica, argumentando que "não levar às instalações absolutos, universais, e certos de que se propõe a fornecer." Em seu lugar, ele desenvolve um "método de experimentação como um meio de investigação científica."

Lógica

Um sistema formal no início de lógica temporal foi estudada por Avicena. Embora ele não desenvolver uma verdadeira teoria de proposições temporais, ele fez estudar a relação entre temporal e a implicação. O trabalho de Avicena foi desenvolvido por Najm al-Dīn al-Qazwīnī al -Kātibī e se tornou o sistema dominante de lógica islâmica até os tempos modernos. Lógica de Avicena também influenciou várias lógicos europeus adiantados tais como Albertus Magnus e William de Ockham . Avicena aprovou a lei da não-contradição proposta por Aristóteles, que um fato não poderia ser verdadeira e falsa ao mesmo tempo e no mesmo sentido da terminologia utilizada. Ele afirmou: "Qualquer um que nega a lei da não-contradição deve ser espancado e queimado até ele admite que a ser batido não é o mesmo que para não ser batido, e para ser queimado não é o mesmo que para não se queimar."

Física

Na mecânica , Ibn Sina, em O Livro da Cura , desenvolveu uma teoria de movimento , na qual ele fez uma distinção entre a inclinação (tendência de movimento) e força de um projétil , e concluiu que o movimento foi resultado de uma inclinação ( mayl ) transferidos para o projétil pelo atirador, e que movimento de projéteis em um vácuo não cessaria. Ele via a inclinação como uma força permanente cujo efeito é dissipada por forças externas, tais como a resistência do ar .

A teoria da moção apresentada por Avicena foi provavelmente influenciada pelo erudito alexandrino do século 6 John Philoponus . Avicena é uma variante menos sofisticado da teoria do impulso desenvolvido por Buridan no século 14. Não está claro se Buridan foi influenciado por Avicena, ou por Philoponus diretamente.

Na óptica , Ibn Sina estava entre aqueles que argumentou que a luz tinha uma velocidade, observando que "se a percepção da luz é devido à emissão de algum tipo de partículas por uma fonte luminosa, a velocidade da luz deve ser finito." Ele também forneceu uma explicação errada do arco-íris fenômeno. Carl Boyer descreveu a teoria de Avicena ( "Ibn Sina") sobre o arco-íris como segue:

observação independente tinha demonstrado a ele que o arco não é formado na nuvem escura, mas sim na névoa muito fina que se encontra entre a nuvem eo sol ou observador. A nuvem, pensou ele, serve apenas como pano de fundo desta substância fina, tanto quanto um forro de mercúrio é colocado sobre a superfície traseira do vidro em um espelho. Ibn Sina mudaria o lugar não só do arco, mas também da formação de cor, segurando a iridescência de ser apenas uma sensação subjetiva no olho.

Em 1253, um texto em latim intitulado Speculum Tripartitum declarou o seguinte sobre a teoria de Avicena em calor :

Avicena diz em seu livro do céu e da terra, que o calor é gerado a partir de movimento em coisas externas.

Psicologia

O legado de Avicena em psicologia clássica está incorporada principalmente nas Kitab al-nafs partes de seu Kitab al-Shifa ( O Livro da Cura ) e Kitab al-Najat ( The Book of Deliverance ). Estes eram conhecidos em latim sob o título De Anima (tratados "na alma"). Notavelmente, Avicena desenvolve o que é chamado o argumento de "homem voador" em Psicologia da The Cure I.1.7 como a defesa do argumento de que a alma é sem extensão quantitativa, que tem uma afinidade com Descartes 's cogito argumento (ou o que fenomenologia designa como uma forma de " epoche ").

psicologia de Avicena exige que conexão entre o corpo e alma ser forte o suficiente para garantir a individuação da alma, mas fraco o suficiente para permitir a sua imortalidade. motivos Avicena sua psicologia sobre a fisiologia, o que significa que sua conta da alma é aquele que trata quase inteiramente com a ciência natural do corpo e suas habilidades de percepção. Assim, a conexão do filósofo entre a alma eo corpo é explicado quase inteiramente por sua compreensão da percepção; deste modo, a percepção corporal inter-relacionado com o intelecto humano imaterial. Na percepção dos sentidos, o observador sente a forma do objecto; primeiro, percebendo características do objeto pelos nossos sentidos externos. Esta informação sensorial é fornecido aos sentidos internos, que se fundem todas as peças em uma experiência consciente inteira e unificada. Este processo de percepção e abstração é o nexo da alma e do corpo, para que o corpo material só pode perceber objetos materiais, enquanto a alma imaterial só pode receber as formas imateriais, universais. A forma como a alma eo corpo interagem na abstração final do universal a partir do particular concreto é a chave para o seu relacionamento e interação, que acontece no corpo físico.

A alma completa a ação da intelecção, aceitando formas que foram abstraídas da matéria. Este processo requer um betão em particular (de material) a ser captada no universal inteligível (imaterial). O material e interagem imaterial através do intelecto activo, que é um "luz divina" contendo as formas inteligíveis. O intelecto ativo revela os universais escondidos em objetos materiais tanto como o sol faz cor disponível para os nossos olhos.

outras contribuições

Astronomia e astrologia

Avicena escreveu um ataque à astrologia intitulado Resala fī ebṭāl Ahkam al-nojūm , no qual ele citou passagens do Alcorão para disputar o poder da astrologia para prever o futuro. Ele acreditava que cada planeta teve alguma influência sobre a terra, mas argumentou contra astrólogos ser capaz de determinar os efeitos exatos.

Escritos astronômicos de Avicena teve alguma influência sobre escritores posteriores, embora, em geral, seu trabalho poderia ser considerado menos desenvolvido do que Alhazen ou Al-Biruni . Uma característica importante de sua escrita é que ele considera astronomia matemática como uma disciplina separada para a astrologia. Ele criticou a visão de Aristóteles das estrelas que recebem sua luz do Sol , afirmando que as estrelas são auto-iluminado, e acreditava que os planetas também são auto-luminoso. Ele alegou ter observado Vênus como uma mancha no Sol . Isso é possível, pois não havia um trânsito em 24 de Maio, 1032, mas Avicena não deu a data de sua observação, e estudiosos modernos têm questionado se ele poderia ter observado o trânsito de sua localização naquele momento; ele pode ter confundido uma mancha solar para Vênus. Ele usou sua observação de trânsito para ajudar a estabelecer que Vênus era, pelo menos, às vezes, abaixo da Sun na cosmologia ptolomaica, ou seja, a esfera de Vênus vem antes da esfera do Sol, quando se deslocam para fora da Terra na prevalecente geocêntrica modelo.

Ele também escreveu o Resumo do Almagesto , (baseado em Ptolomeu 's Almagesto ), com um tratado acrescentado 'para trazer aquilo que é afirmado no Almagesto e que é entendido de Ciência Natural em conformidade'. Por exemplo, Avicena considera o movimento da energia solar apogeu , que Ptolomeu tinha tomado a fixar.

Química

Ibn Sina usado destilação a vapor para produzir óleos essenciais, tais como subiu essência, que usou como aromatherapeutic tratamentos para doenças cardíacas.

Ao contrário de al-Razi, Ibn Sina contestado explicitamente a teoria da transmutação de substâncias vulgarmente acreditado por alquimistas :

Aqueles da embarcação química sabe muito bem que nenhuma mudança pode ser feita nas diferentes espécies de substâncias, embora eles podem produzir a aparência de tal mudança.

Quatro obras sobre alquimia atribuídos a Avicena foram traduzidos para o latim como:

  • Liber Aboali Abincine de Anima na arte Alchemiae
  • Declaratio Lapis physici avicennae filio sui Aboali
  • Avicennae de congelatione et conglutinatione lapidum
  • Avicennae ad Hasan Regem Epistola de Re recta

Liber Aboali Abincine de Anima na arte Alchemiae foi o mais influente, tendo influenciado mais tarde medievais químicos e os alquimistas, como Vincent de Beauvais . No entanto Anawati argumenta (seguindo Ruska) que o de Anima é uma farsa de um autor espanhol. Da mesma forma o Declaratio se acredita não ser verdade por Avicena. O terceiro trabalho ( O Livro de Minerais ) é concordou em ser escritos de Avicena, adaptado do Kitab al-Shifa ( Livro da Remedy ). Ibn Sina classificados minerais em pedras, substâncias fusíveis, sulfetos, e sais, com base nas idéias de Aristóteles e Jabir. A Epistola de Re recta é um pouco menos cético em relação a alquimia; Anawati argumenta que é por Avicena, mas escrito no início de sua carreira, quando ele ainda não tinha decidido firmemente que a transmutação era impossível.

Poesia

Quase metade das obras de Ibn Sina são versificado. Seus poemas aparecem em árabe e persa. Como exemplo, Edward Granville Browne afirma que os seguintes versos persas são incorretamente atribuída a Omar Khayyam , e foram originalmente escrito por Ibn Sina:


قعر گل سیاه از تا اوج زحل
کردم همه مشکلات گیتی را حل
بیرون جستم زقید هر مکر æ حیل
هر بند گشاده شد مگر بند
اجل

Do fundo da terra até preto para apogeu de Saturno,
Todos os problemas do universo foram resolvidos por mim.
Eu ter escapado das bobinas de armadilhas e enganos;
Tenho desvendado todos os nós, exceto o nó da Morte.

Legado

Idade Média e do Renascimento

Vista interna do Mausoléu Avicena, projetado por Hooshang Seyhoun em 1945-1950

Já no século 13, quando Dante Alighieri descreveu-lo no limbo junto com os pensadores não-cristãos virtuosos em sua Divina Comédia , como Virgil , Averroes , Homer , Horace , Ovid , Lucan , Sócrates , Platão , e Saladin , Avicena foi reconhecido pela Oriente e do Ocidente, como uma das grandes figuras da história intelectual.

George Sarton , o autor de A História da Ciência , descrito Ibn Sina como "um dos maiores pensadores e estudiosos médicos na história" e chamou de "o mais famoso cientista do Islã e um dos mais famosos de todas as raças, locais, e vezes." Ele foi um dos principais escritores do mundo islâmico no campo da medicina. Junto com Rhazes , Abulcasis , Ibn al-Nafis , e al-Ibadi , Ibn Sina é considerado um compilador importante da medicina muçulmana cedo. Ele é lembrado no oeste história da medicina como uma grande figura histórica que fez importantes contribuições à medicina e ao Parlamento Europeu Renascimento . Seus textos médicos eram incomuns em que onde existia controvérsia entre Galen e vistas de Aristóteles sobre assuntos médicos (tais como anatomia), ele preferiu a lado com Aristóteles, onde a posição necessária actualização de Aristóteles de ter em conta os progressos pós-aristotélicas em conhecimento anatômico. Influência intelectual dominante de Aristóteles entre os estudiosos europeus medievais significou que a ligação de Avicena de médicos escritos de Galeno com escritos filosóficos de Aristóteles no Canon de Medicina (junto com sua organização abrangente e lógica do conhecimento) aumentou significativamente importância de Avicena na Europa medieval, em comparação com outros escritores islâmicos em remédio. Sua influência seguinte tradução da Canon foi tal que a partir do décimo quarto cedo para meados do século XVI, foi classificados com Hipócrates e Galeno como uma das autoridades reconhecidas, Medicorum princeps ( "príncipe dos médicos").

recepção moderna

Na atual Irã, Afeganistão e Tadjiquistão , ele é considerado um ícone nacional, e é muitas vezes considerado como um dos maiores persas. Um monumento foi erguido fora do museu Bukhara. O Mausoléu de Avicena e Museu em Hamadan foi construído em 1952. Bu-Ali Universidade Sina em Hamadan (Irã), a biotecnologia Instituto Avicena Research em Teerã (Irã), o ibn Sina University Medical Tajik Estado em Dushanbe , Ibn Sina Academia de Medicina Medieval e Ciências em Aligarh , Índia, Escola de Avicena em Karachi e Avicena Medical College , em Lahore , Paquistão Ibne Sina Balkh Medical School, em sua província natal de Balkh no Afeganistão , Ibni Sina Faculdade de Medicina de Ankara Universidade de Ancara , Turquia , o principal prédio de sala de aula ( o edifício Avicena) da Universidade Sharif of Technology , e Ibn Sina Escola Integrada em Marawi City (Filipinas) estão todos nomeado em sua honra. Seu retrato está pendurado no Salão do Avicena Faculdade de Medicina na Universidade de Paris . Há uma cratera na Lua chamado Avicena e um mangue gênero Avicennia .

Um monumento a Avicena em Qakh (cidade) , Azerbaijão

Em 1980, a União Soviética , que então governava o seu berço Bukhara, comemorou o milésimo aniversário do nascimento de Avicena pela circulação de vários selos comemorativos com ilustrações artísticas, e por erigir um busto de Avicena baseado em antropológico pesquisa feita por estudiosos soviéticos. Perto de sua terra natal, em Qishlak Afshona, cerca de 25 km (16 milhas) ao norte de Bukhara, uma escola de formação para o pessoal médico foi nomeado para ele. No local é um museu dedicado à sua vida, horários e trabalho.

Imagem de Avicena na somoni Tajikistani

O Prêmio Avicena , criada em 2003, é concedido a cada dois anos pela UNESCO e premia os indivíduos e grupos para suas realizações no campo da ética na ciência . O objetivo do prêmio é promover a reflexão ética sobre questões levantadas pelos avanços na ciência e tecnologia, e para aumentar a consciência global sobre a importância da ética na ciência.

Os Diretórios Avicena (2008-15; agora o Diretório Mundial de Escolas Médicas ) Lista universidades e escolas onde os médicos, profissionais de saúde pública, farmacêuticos e outros, são educadas. A equipe do projeto inicial, se afirmava "Por Avicena? Avicena ... foi ... conhecido por sua síntese do conhecimento de ambos leste e oeste. Ele teve uma influência duradoura sobre o desenvolvimento da medicina e ciências da saúde. O uso de simboliza nome de Avicena a parceria mundial que é necessário para a promoção de serviços de saúde de alta qualidade."

A estátua de Avicena no Escritório das Nações Unidas em Viena , como parte do persa Scholars Pavilhão doados pelo Irã

Em junho de 2009 o Irã doou um " Scholars persas Pavilion " a Escritório das Nações Unidas em Viena , que é colocado no centro de Memorial Plaza do Centro Internacional de Viena . O "Scholars persas Pavilion" nas Nações Unidas em Viena , Áustria está apresentando as estátuas de quatro figuras iranianas proeminentes. Destacando as características arquitectónicas iranianos, o pavilhão é adornado com as formas de arte persas e inclui as estátuas de renomados cientistas iranianos Avicena, Al-Biruni , Zakariya Razi (Rhazes) e Omar Khayyam .

1982 filme soviético Youth of Genius (russo: Юность гения , . Translit  Yunost geniya ) por Elyor Ishmukhamedov  [ ru ] relata anos mais jovem de Avicena. O filme é ambientado em Bukhara, na virada do milênio.

Em Louis L'Amour 1985 romance histórico 's The Drum Andando , estudos Kerbouchard e discute de Avicena A Canon de Medicina .

Em seu livro O Médico (1988) Noah Gordon conta a história de um jovem aprendiz médico Inglês que se disfarça como um judeu para viajar da Inglaterra para a Pérsia e aprender com Avicena, o grande mestre do seu tempo. A novel foi adaptado para um filme, o médico , em 2013. Avicenna foi interpretado por Ben Kingsley .

obras árabes

Os tratados de Ibn Sina influenciado pensadores mais tarde muçulmanos em muitas áreas, incluindo teologia, filologia, matemática, astronomia, física e música. Suas obras numeradas quase 450 volumes em uma ampla gama de assuntos, dos quais cerca de 240 sobreviveram. Em particular, 150 volumes de suas obras sobreviventes concentrar-se em filosofia e 40 deles se concentrar em medicina. Seus trabalhos mais famosos são O Livro da Cura , e A Canon de Medicina .

Ibn Sina escreveu pelo menos um tratado sobre alquimia, mas vários outros foram falsamente atribuídos a ele. Sua Lógica , Metafísica , Física , e De caelo , são tratados dando uma visão sinóptica da doutrina aristotélica , embora Metafísica demonstra um desvio considerável em relação a marca de neoplatonismo conhecido como o aristotelismo no mundo de Ibn Sina; Filósofos árabes têm sugerido a idéia de que Ibn Sina foi a tentativa de "re-Aristotelianise" filosofia muçulmana em sua totalidade, ao contrário de seus antecessores, que aceitaram a fusão de obras platônicas, aristotélicas, neo-e Oriente-platônicos transmitidas para o mundo muçulmano.

A Lógica e Metafísica têm sido amplamente reproduzida, este último, por exemplo, em Veneza em 1493, 1495, e 1546. Alguns de seus ensaios mais curtos sobre medicina, lógica, etc., dê uma forma poética (o poema na lógica foi publicado pela Schmoelders em 1836). Dois tratados enciclopédicos, lidando com a filosofia, são frequentemente mencionados. O maior, Al-Shifa' ( Sanatio ), existe quase completa em manuscrito na Biblioteca Bodleian e em outro lugar; parte disto no De Anima apareceu em Pavia (1490) como o Liber Sexto Naturalium , e a longo conta de filosofia de Ibn Sina dada por Muhammad al-Shahrastani parece ser principalmente uma análise, e em muitos lugares uma reprodução, do Al -Shifa'. Uma forma mais curta do trabalho é conhecido como o An-najat ( liberatio ). As edições latinas de parte dessas obras foram modificados pelas correcções que os editores monásticas confessam que eles aplicada. Há também uma حكمت مشرقيه ( hikmat-al-mashriqqiyya , em latim Philosophia orientalis ), mencionado por Roger Bacon , a maioria dos quais se perdem na antiguidade, que de acordo com Averroe foi panteística em tom.

Lista de obras

obras de Avicena incluem:

  • Sirat al-sheykh al-Ra'is ( A vida de Ibn Sina ), ed. e trans. NÓS. Gohlman, Albany, NY:. State University of New York Press, 1974. (A única edição crítica da autobiografia de Ibn Sina, suplementado com material de uma biografia por seu aluno Abu 'Ubayd al-Juzjani Uma tradução mais recente do Autobiography aparece em D. Gutas, Avicena e a tradição aristotélica: Introdução ao do Reading Avicena Philosophical Works , Leiden: Brill, 1988; segunda edição de 2014.)
  • Al-Isharat wa al-tanbihat ( Observações e Admonições ), ed. S. Dunya, Cairo, 1960; peças traduzidas por SC Inati, Observações e advertências, Part One: Logic, Toronto, Ontário .: Pontifício Instituto de Estudos Medievais de 1984 e Ibn Sina e Misticismo, Observações e advertências: Parte 4, Londres: Kegan Paul International de 1996.
  • Al-Qanun fi'l-Tibb ( A Canon de Medicina ), ed. I. a-Qashsh, Cairo, 1987. (Encyclopedia of Medicine.) Manuscrito, tradução latina, Flores Avicena, Michael de Capella, 1508, texto Modern. Ahmed Shawkat Al-Shatti, Jibran Jabbur.
  • Risalah fi sirr al-qadar ( Ensaio sobre o Segredo de destino ), trans. G. Hourani em Razão e Tradição na ética islâmica, Cambridge: Cambridge University Press, 1985.
  • Danishnama-i 'Ala'i ( O Livro do Conhecimento Científico ), ed. e trans. P. Morewedge, a metafísica de Avicena, Londres: Routledge e Kegan Paul de 1973.
  • Kitab al-Shifa' ( O Livro da Cura ). (Grande obra de Ibn Sina sobre filosofia. Ele provavelmente começou a compor al-Shifa' em 1014, e completou em 1020.) edições críticas do texto árabe foram publicados no Cairo, 1952-1983, originalmente sob a supervisão de I. Madkour.
  • Kitab-Marek ( O Livro de salvação ), trans. F. Rahman, Psicologia de Avicena: uma tradução em Inglês de Kitab al-Najat, Livro II, capítulo VI, com notas histórico-filosófica e Prova Melhorias no Cairo Edição , Oxford: Oxford University Press, 1952. (A psicologia da al-Shifa' .) ( versão digital do texto em árabe )
  • O Filósofo Autodidata um mito persa. Um romance chamado O Filósofo Autodidata , baseada na história de Avicena, mais tarde foi escrito por Ibn Tufail (Abubacer) no século 12 e traduzido para o latim e Inglês como Philosophus Autodidactus nos séculos 17 e 18, respectivamente. No século 13, Ibn al-Nafis escreveu o seu próprio romance Fadil ibn Natiq , conhecido como Theologus Autodidactus no Ocidente, como uma resposta crítica a O Filósofo Autodidata .

obras persas

Mais importante de Avicena persa trabalho é o Danishnama-i 'Alai ( دانشنامه علائی , "o Livro do Conhecimento para [príncipe]' Ala ad-Daulah"). Avicena criado novo vocabulário científico que não tinha anteriormente existia em persa. O Danishnama aborda temas como lógica, metafísica, teoria musical e outras ciências de seu tempo. Foi traduzido para o Inglês por Parwiz Morewedge em 1977. O livro também é importante no que diz respeito a obras científicas persas.

Andar Danesh-e Rag ( اندر دانش رگ , "On the Science of Pulse") contém nove capítulos sobre a ciência do pulso e é uma sinopse condensada.

Poesia persa de Ibn Sina é gravado em vários manuscritos e antologias posteriores tais como Nozhat al-Majales .

Veja também

Referências

Outras leituras

artigos enciclopédicos

literatura primária

  • Para uma velha lista de outras obras existentes, C. Brockelmann 's Geschichte der Arabischen Litteratur (Weimar, 1898), vol. Eu. pp. 452-458. (XV. W .; GWT)
  • Para obter uma lista atual de suas obras veja A. Bertolacci (2006) e D. Gutas (2014) na seção "Filosofia".
  • Avicena (2005). A metafísica da cura . A tradução paralela texto Inglês-Árabe. Michael E. Marmura (trans.) (1 ed.). Brigham Young University. ISBN  978-0934893770 .
  • Avicenna (1999). A Canon de Medicina (al-Qanun fi'l-TIBB), vol. 1 . Laleh Bakhtiar (ed.), Oskar Cameron Gruner (trans.), Mazhar H. Shah (trans.). Grandes Livros do mundo islâmico. ISBN  978-1871031676 .
  • Avicena: refutação de l'astrologie . Edição et traduction du texte arabe, introdução, notas et lexique par Yahya Michot. Préface d'Elizabeth Teissier (Beirute-Paris: Albouraq, 2006) ISBN  2841613046 .
  • William E. Gohlam (ed.), The Life of Ibn Sina. Uma edição crítica e tradução anotada , Albany, Estado de New York University Press, 1974.
  • Para a vida de Ibn Sina, consulte Ibn Khallikan 's Biographical Dictionary , traduzido por de Slane (1842); F. Wüstenfeld 's Geschichte der Aerzte Arabischen und Naturforscher (Gottingen, 1840).
  • Madelung, Wilferd e Toby Mayer (ed e tr..), Esforça-se com o Filósofo: Um Refutation de MetafÃsica de Avicenna. A New árabe Edition e Inglês tradução de de Shahrastani Kitab al-Musara'a.

literatura secundária

Esta é, em geral, uma conta informada e bem da vida e as realizações de uma das maiores influências sobre o desenvolvimento do pensamento oriental e ocidental. ... Não é tão filosoficamente profundo como as obras de D. Saliba, AM Goichon, ou L. Gardet, mas é provavelmente o melhor ensaio em Inglês sobre este importante pensador da Idade Média. (Julius R. Weinberg, O Philosophical Review , Vol. 69, No. 2, abril de 1960, pp. 255-259)
Este é um trabalho distinto que se destaca a partir, e acima, muitos dos livros e artigos que foram escritos neste século em Avicena (Ibn Sina) (980-1037). Ele tem duas características principais em que a sua distinção como uma contribuição importante para estudos Avicennan pode ser dito para descansar: a primeira é a sua clareza e legibilidade; o segundo é a abordagem comparativa adotado pelo autor. ... (Ian Richard Netton, Jornal da Sociedade Real Asiática , Third Series, Vol. 4, No. 2, julho de 1994, pp. 263-264)
  • Gutas, Dimitri (1987). "Madhab de Avicena, com um apêndice sobre a questão da sua data de nascimento". Quaderni di Studi Arabi . 6/5 : 323-336.
  • YT Langermann (ed.), Avicena e seu legado. A Idade de Ouro da Ciência e Filosofia , Brepols Publishers, 2010, ISBN  978-2503527536
  • Para uma nova compreensão do seu início de carreira, com base em um texto recém-descoberto, veja também: Michot, Yahya, Ibn Sina: Lettre au vizir Abû Sad . Editio princeps d'après le manuscrit de Bursa, traduction de l'arabe, introdução, notas et lexique (Beirute-Paris: Albouraq, 2000) ISBN  2841611507 .
  • Strohmaier, Gotthard (2006). Avicena (em alemão). CH Beck. ISBN  978-3406541346 .
Esta publicação alemã é ao mesmo tempo uma das introduções gerais mais abrangentes para a vida e obra do filósofo e médico Avicena (Ibn Sina, d. 1037) e uma pesquisa extensa e cuidadosa de sua contribuição para a história da ciência. Seu autor é um renomado especialista em medicina grega e árabe que tem dado atenção considerável para Avicena em seus estudos recentes. ... (Amos Bertolacci, Isis , Vol. 96, No. 4, Dezembro de 2005, p. 649)
  • Hakim Syed Zillur Rahman. Resalah Judiya de Ibn Sina (Primeira edição 1971), Literary Unidade de Pesquisa, CCRIH, Universidade Muçulmana Aligarh , Aligarh ; (Segunda edição de 1981) Conselho Central de Investigação em Unani Medicina, Govt. da Índia, Nova Deli; (Quarta edição de 1999), Conselho Central de Investigação em Unani Medicina, Govt. da Índia, Nova Delhi .
  • Hakim Syed Zillur Rahman (1996). AI-Advia al-Qalbia de Ibn Sina . Publicação Divisão, Aligarh Muslim University, Aligarh.
  • Hakim Syed Zillur Rahman. Ilmul Amraz de Ibn Sina (Primeira edição 1969), Tibbi Academy, Delhi (Segunda edição de 1990), (Terceira edição 1994), Tibbi Academy, Aligarh .
  • Hakim Syed Zillur Rahman (1986). Qanoon LBN Sina Aur Uskey Shareheen wa Mutarjemeen . Publicação Divisão, Aligarh Muslim University, Aligarh.
  • Hakim Syed Zillur Rahman (1986), Qanun-i ibn-i Sina Aur nós ke shārḥīn va mutarajimīn ,'Alīgaṛh: Pablīkeshan Dīvīzan, muçulmano Yūnīvarsiṭī
  • Hakim Syed Zillur Rahman (2004). Qanun Ibn Sina e sua tradução e comentaristas (Tradução persa; 203pp) . Sociedade para a apreciação das obras culturais e Dignitários, Teerã, Irã.
  • Shaikh al Ra Ibn Sina (Número Especial), 1958-1959, Ed. Hakim Syed Zillur Rahman, Tibbia Revista College, Universidade Muçulmana Aligarh, Aligarh, Índia .

Remédio

  • Browne, Edward G. . Medicina islâmica. Fitzpatrick conferências proferidas no Royal College of Physicians, em 1919-1920 , reimpressão: Nova Deli: Goodword Books, 2001. ISBN  8187570199
  • Pormann, Peter & Savage-Smith, Emilie. Medieval Medicina Islâmica , Washington: Georgetown University Press, 2007.
  • Prioreschi, Plinio. Bizantina e islâmica Medicina , A History of Medicine, Vol. 4, Omaha: Horatius Press, 2001.

Filosofia

  • Amos Bertolacci, a recepção de Metafísica de Aristóteles em de Avicena Kitab al-Sifa'. A Milestone of Western Metafísica pensamento , Leiden: Brill 2006, (Anexo C contém uma Visão Geral das Obras principal Avicena na Metafísica em ordem cronológica ).
  • Dimitri Gutas , Avicena e a tradição aristotélica: Introdução à Philosophical Works do Reading Avicena , Leiden, Brill 2014, segunda edição revista e ampliada (primeira edição: 1988), incluindo um inventário de autênticas obras Avicena'.
  • Andreas Lammer: The Elements of Physics de Avicena. Fontes gregas e Inovações árabe . Scientia greco-arábica 20. Berlin / Boston: Walter de Gruyter, 2018.
  • Jon McGinnis e David C. Reisman (eds.) Interpretação Avicena: Ciência e Filosofia no Islão Medieval: Anais da Segunda Conferência do Grupo de Estudos Avicena , Leiden: Brill de 2004.
  • (em francês) Michot, Jean R., La destinée de l'homme selon Avicena , Louvain: Aedibus Peeters de 1986, ISBN  978-9068310719 .
  • Nader El-Bizri , O Fenomenológica busca entre Avicena e Heidegger , Binghamton, NY: global Publicações SUNY, 2000 (reeditado pela SUNY Press em 2014, com um novo Prefácio).
  • Nader El-Bizri "Avicena e essencialismo," Revisão da Metafísica , Vol. 54 (Junho de 2001), pp. 753-778.
  • Nader El-Bizri, "Avicenna De anima entre Aristóteles e Husserl," em The Paixões da alma na metamorfose de se tornar , ed. Anna-Teresa Tymieniecka, Dordrecht: Kluwer, 2003, pp 67-89..
  • Nader El-Bizri, "Ser e Necessidade: A investigação fenomenológica da Metafísica e Cosmologia de Avicena," em Filosofia islâmica e Occidental Fenomenologia na eterna questão do microcosmo e macrocosmo , ed. Anna-Teresa Tymieniecka, Dordrecht: Kluwer, 2006, pp 243-261..
  • Nader El-Bizri, 'de Ibn Sina Ontologia ea questão do Ser', Ishraq: Islamic Philosophy Yearbook 2 (2011), 222-237
  • Nader El-Bizri, 'filosofar às margens do 'Estudos Sh'i': Reflexões sobre de Ibn Sina Ontologia', em The Study of Sh'i Islam. História, Teologia e Direito , eds. F. Daftary e G. Miskinzoda (Londres: IB Tauris, 2014), pp 585-597..
  • Reisman, David C. (ed.), Antes e Depois de Avicena: Anais da Primeira Conferência do Grupo de Estudos Avicena , Leiden: Brill de 2003.

links externos