Albert Schweitzer - Albert Schweitzer


Da Wikipédia, a enciclopédia livre

Albert Schweitzer
Bundesarchiv Bild 183-D0116-0041-019, Albert Schweitzer.jpg
Schweitzer em 1955
Nascermos ( 1875/01/14 )14 janeiro, 1875
Kaysersberg , Alsácia-Lorena , Alemanha (agora Haut-Rhin , França)
Morreu 04 de setembro de 1965 (1965/09/04)(com idades de 90)
Lambaréné , Gabão
Cidadania
  • Alemão (1875-1919)
  • Francês (1919-1965)
alma mater Universidade de Estrasburgo
Conhecido por
Cônjuge (s) Helene Bresslau , filha de Harry Bresslau
Prêmios
carreira científica
Campos
  • Remédio
  • música
  • filosofia
  • teologia
conselheiro doutoral
influências H. S. Reimarus

Albert Schweitzer , OM (14 de Janeiro 1875-4 de Setembro de 1965) era um alsaciano teólogo, organista, escritor, humanitário, filósofo e médico. A Luterana , Schweitzer desafiou tanto a visão secular de Jesus como descrito pelo método histórico-crítico atual, neste momento, bem como a tradicional visão cristã . Suas contribuições para a interpretação de Pauline cristianismo dizem respeito ao papel de Paul 's misticismo de 'estar em Cristo', como primário e a doutrina da justificação pela fé como secundário.

Ele recebeu 1952 Prêmio Nobel da Paz por sua filosofia de " Reverência pela Vida ", tornando-se o oitavo francês a receber o prêmio. Sua filosofia foi expressa de muitas formas, mas a mais famosa na fundação e sustentação do Schweitzer Hospital Albert em Lambaréné , na parte da África Equatorial Francesa , que é agora Gabon. Como estudioso de música e organista, estudou a música do compositor alemão Johann Sebastian Bach e influenciou o órgão Movimento de Reforma ( Orgelbewegung ).

Nacionalidade

Schweitzer nasceu na província de Alsace , que tinha sido uma província francesa desde 1639 e tornou-se prussiano depois que a França perdeu para a Prússia em 1871. Ele tornou-se francês novamente em 1919, após a derrota da Alemanha durante a Primeira Guerra Mundial. Schweitzer considerava-se francês, e escreveu principalmente em alemão. Sua língua materna era alsaciano , um dialeto germânico, embora ele era fluente em francês e alemão também.

Educação

local de nascimento de Albert Schweitzer, Kaysersberg

Schweitzer nasceu em Kaysersberg, Haute Alsace, filho de Louis Schweitzer e Adèle Schillinger. Passou a infância na aldeia da Alsácia de Gunsbach , onde seu pai, o local, Luterana Evangélica- pastor da EPCAAL , lhe ensinou a tocar música. A pequena vila tornou-se o lar da Association Internationale Albert Schweitzer (AIAS). A igreja paroquial medieval de Gunsbach foi compartilhada pelas congregações protestantes e católicos, que realizou suas orações em diferentes áreas em diferentes momentos aos domingos. Este compromisso surgiu após a Reforma Protestante e as Guerra dos Trinta Anos . Schweitzer, o filho do pastor, cresceu neste ambiente excepcional da tolerância religiosa, e desenvolveu a crença de que o verdadeiro cristianismo deve sempre trabalhar para uma unidade da fé e propósito.

Primeira língua de Schweitzer era o dialeto alsaciano de língua alemã . No Mulhouse ginásio ele recebeu seu " Abitur " (o certificado no final do ensino secundário), em 1893. Ele estudou órgão em Mulhouse 1885-1893 com Eugène Munch, organista na catedral protestante, que inspirou Schweitzer com seu profundo entusiasmo pela a música do compositor alemão Richard Wagner . Em 1893 ele jogou para os franceses organista Charles-Marie Widor (em Saint-Sulpice, Paris ), para quem Johann Sebastian Bach música de órgão 's continha um sentido místico do eterno. Widor, profundamente impressionado, concordou em ensinar Schweitzer sem dinheiro, e uma grande e influente amizade começou assim.

De 1893 Schweitzer estudou teologia protestante na Universidade Kaiser Wilhelm , em Estrasburgo . Lá, ele também recebeu instrução em piano e contraponto com o professor Gustav Jacobsthal, e associado estreitamente com Ernest Munch, o irmão de seu ex-professor, organista de St William igreja, que também era um apaixonado admirador da música de JS Bach. Schweitzer serviu o seu um ano de serviço militar obrigatório em 1894. Schweitzer viu muitas óperas de Richard Wagner, em Estrasburgo (sob Otto Lohse ) e em 1896 ele conseguiu pagar uma visita ao Festival de Bayreuth para ver de Wagner Der Ring des Nibelungen e Parsifal , que profundamente impressionado ele. Em 1898 ele voltou a Paris para escrever uma tese de doutorado sobre a filosofia religiosa de Kant na Sorbonne , e estudar a sério com Widor. Aqui, ele muitas vezes se reuniu com os idosos Aristide Cavaillé-Coll . Ele também estudou piano na época com Marie Jaëll . Em 1899, Schweitzer passou o semestre de verão na Universidade de Berlim e finalmente obteve seu diploma de teologia na Universidade de Estrasburgo . Ele publicou sua tese de doutorado na Universidade de Tübingen em 1899.

Em 1905, Schweitzer começou seus estudos de medicina na Universidade de Estrasburgo, culminando com o grau de MD em 1913.

Música

Schweitzer rapidamente ganhou proeminência como um estudioso musical e organista, dedicada também para o resgate, restauração e estudo dos históricos órgãos de tubos . Com uma visão teológica, ele interpretou o uso da representação pictórica e simbólica no de JS Bach música religiosa. Em 1899, ele surpreendeu Widor explicando figuras e motivos em de Bach Prelúdio Coral como imagens ilustrando temas tonais e rítmicos pintor-like das palavras dos hinos em que foram baseados. Eram obras de contemplação devocional em que o design musical correspondiam às ideias literárias, concebido visualmente. Widor não tinha crescido com o conhecimento dos antigos luteranos hinos.

A exposição dessas idéias, incentivado por Widor e Munch, tornou-se última tarefa de Schweitzer, e apareceu no estudo magistral JS Bach: Le Musicien-Poète , escrito em francês e publicado em 1905. Houve grande demanda para uma edição alemã, mas, em vez de traduzi-lo, ele decidiu reescrevê-lo. O resultado foi dois volumes ( JS Bach ), que foram publicados em 1908 e traduzido para o Inglês por Ernest Newman em 1911. Ernst Cassirer , um filósofo alemão contemporâneo, chamou de "uma das melhores interpretações" de Bach. Durante sua preparação Schweitzer tornou-se um amigo de Cosima Wagner , então residente em Estrasburgo, com quem teve muitas conversas teológicas e musicais, explorando a sua visão da música descritiva de Bach, e jogar a maior Chorale Preludes para ela no Templo Neuf. Abordagem interpretativa de Schweitzer influenciou muito a compreensão moderna da música de Bach. Ele se tornou um convidado bem-vindo em casa os Wagners', Wahnfried . Ele também correspondeu com o compositor Clara Faisst , que se tornou um bom amigo.

O Órgão Coro na Igreja St Thomas', Estrasburgo , concebido em 1905 em princípios definidos por Albert Schweitzer

Seu panfleto "The Art of Building órgão e órgão Jogando na Alemanha e França" (1906, republicado com um apêndice sobre o estado da indústria de construção de órgãos em 1927) efetivamente lançou o século 20 Orgelbewegung , que se afastou de extremos românticos e princípios, embora barrocas redescoberto este movimento de reforma radical na construção de órgãos, eventualmente, foi mais longe do que Schweitzer tinha pretendido. Em 1909, ele se dirigiu ao Terceiro Congresso da Sociedade Internacional de Música de Viena sobre o assunto. Tendo circular um questionário entre os jogadores e órgãos de construtores em vários países europeus, ele produziu um relatório muito considerado. Isto forneceu a base para os Regulamentos Internacionais para Organ edifício . Ele prevê instrumentos em que o som de fim de romântico-órgão completo francês deve trabalhar integralmente com os românticos ingleses e alemães flautas de bambu , e com as clássicas Alsace Silbermann recursos de órgãos e barrocas tubos de escape , todos nos registos regulados (por paradas ) para acessar distinta vozes em fuga ou contraponto capaz de combinação sem perda de nitidez: diferentes vozes cantando a mesma música em conjunto.

Schweitzer também estudou piano com Isidor Philipp , chefe do departamento de piano no Conservatório de Paris .

Em 1905 Widor e Schweitzer estavam entre os seis músicos que fundaram a Paris Bach Society , um coro dedicada à realização de música de JS Bach, para cuja concertos Schweitzer tomou a parte do órgão regularmente até 1913. Ele também foi nomeado organista para os concertos de Bach do Orfeo Català em Barcelona , Espanha, e muitas vezes viajou para lá para esse fim. Ele e Widor colaboraram em uma nova edição de obras para órgão de Bach , com análise detalhada de cada obra em três idiomas (Inglês, Francês, Alemão). Schweitzer, que insistiu que a pontuação deve mostrar a notação de Bach sem marcações adicionais, escreveu os comentários para os prelúdios e fugas, e Widor aquelas para as Sonatas e Concertos: seis volumes foram publicados em 1912-1914. Mais três, para conter os Prelúdios Chorale com análises de Schweitzer, estavam a ser trabalhado na África, mas estes nunca foram concluídas, talvez porque para ele eram inseparáveis de seu pensamento teológico evoluindo.

Na partida para Lambaréné, em 1913, ele foi presenteado com um de piano pedal , um piano com anexos pedal para operar como um órgão pedal-teclado. Construído especialmente para os trópicos, que foi entregue pelo rio em uma enorme piroga para Lambaréné, embalado em uma caixa forrada de zinco. No começo, ele considerou sua nova vida como uma renúncia de sua arte, e caiu fora da prática, mas depois de algum tempo ele resolveu estudar e aprender de cor as obras de Bach, Mendelssohn , Widor, César Franck e Max Reger sistematicamente. Tornou-se seu costume de jogar durante a hora do almoço e nas tardes de domingo. De piano pedal do Schweitzer ainda estava em uso em Lambaréné em 1946. De acordo com um visitante, Dr. Gaine Cannon, de Balsam Grove, NC, o velho, dilapidado piano órgão ainda estava sendo tocada pelo Dr. Schweitzer em 1962, e as histórias disse que "seus dedos ainda estavam animada" no instrumento de idade em 88 anos de idade.

Sir Donald Tovey dedicou sua conclusão conjectural de Bach A Arte da Fuga para Schweitzer.

Gravações de Schweitzer de órgão-música, e sua técnica de gravação inovador, são descritos abaixo .

Um de seus alunos notáveis foi maestro e compositor Hans Münch .

Teologia

Saint-Nicolas, Estrasburgo

Em 1899 Schweitzer tornou-se um diácono na igreja de São Nicolau , em Estrasburgo. Em 1900, com a conclusão da sua licenciatura em teologia, foi ordenado como padre, e esse ano ele testemunhou o Passion Play Oberammergau . No ano seguinte tornou-se principal provisória da Academia Teológica de Santo Tomás , a partir do qual ele tinha acabado de se formar, e em 1903 sua nomeação foi tornada permanente.

Em 1906 ele publicou Geschichte der Leben-Jesu-Forschung ( "História da pesquisa Vida-de-Jesus"). Este livro, que estabeleceu sua reputação, foi publicado em Inglês em 1910 como The Quest do Jesus histórico . Sob este título o livro tornou-se famoso no mundo de fala Inglês. A segunda edição alemã foi publicada em 1913, que contém as revisões e expansões teologicamente significativas, mas esta edição revisada não apareceu em Inglês até 2001. Em 1931 ele publicou Mystik des Apostels Paulus ( "O Misticismo do Apóstolo Paulo"); uma segunda edição foi publicada em 1953.

A Busca do Jesus Histórico (1906)

Em The Quest , Schweitzer examinou todos trabalho anterior sobre o "Jesus histórico" de volta para o final do século 18. Ele mostrou que a imagem de Jesus tinha mudado com os tempos e as perspectivas dos vários autores, e deu sua própria sinopse e interpretação dos achados do século anterior. Ele afirmava que a vida de Jesus deve ser interpretado à luz do próprias convicções de Jesus, que refletiram judaica tarde escatologia . Schweitzer escreve:

O Jesus de Nazaré, que veio para a frente publicamente como o Messias, que pregava a ética do reino de Deus, que fundou o reino dos céus na terra e morreu para dar a sua obra a sua consagração definitiva nunca existiu. Ele é uma figura projetada pelo racionalismo, dotado de vida pelo liberalismo e vestida pela teologia moderna em um traje histórico. Esta imagem não foi destruída a partir do exterior; ele caiu aos pedaços ...

O conceito de que o cristianismo começou como um movimento apocalíptica judaica é evidenciado pelos ensinamentos de Jesus histórico sobre o fim dos dias. Não só ele pregou ele subiria da sepultura, mas que ele também iria subir ao céu e um dia voltar para julgar e governar o mundo, dizendo que ninguém, incluindo ele próprio, sabia o momento exato do seu retorno, mas seria antes do fim da sua geração. Schweitzer verificado as muitas referências do Novo Testamento explicando claramente que os cristãos 1º século acreditou no cumprimento iminente da promessa do Mundo terminar dentro do tempo de vida de seguidores originais de Jesus. Ele observou que no evangelho de Marcos, Jesus fala de uma "tribulação", com o seu "vindo nas nuvens com grande poder e glória" (São Marcos), e afirma quando isso vai acontecer: "Esta geração não passará, até que todas estas coisas aconteçam"(São Mateus, 24:34) (ou, 'ter tido lugar' (Lucas 21:32))

Em The Quest do Jesus histórico , Schweitzer observa a Bíblia contradizendo a possibilidade de eventos importantes que nunca aconteceu e nunca pode ter lugar como eles são descritos; Jesus afirma especificamente que devemos "Não seles as palavras da profecia" e promessas de que alguns de seus ouvintes, bem como o sumo sacerdote em seu julgamento estaria vivo para vê-lo retornar à Terra. "Bem-aventurado aquele que lê e aqueles que ouvem as palavras desta profecia, e acatam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo" (Apocalipse 1: 3). São Paulo falou dos "últimos tempos": "Irmãos, o tempo é curto: que resta é que também os que têm mulheres sejam como se não as tivessem" (1 Coríntios 7:29); "Deus tem, nestes últimos dias nos falou pelo Filho" (Hebreus 1: 2); "Alguns dos que aqui que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino" (Mateus 16:28) (ou, "até que vejam que o reino de Deus chegar com poder" (Marcos 9 : 1); ou, "até que vejam o reino de Deus" (Lucas 9:27)).

Schweitzer continua escrevendo em A Busca do Jesus histórico que é totalmente razoável pensar que "vem rapidamente", "próximo", e "em breve" poderia significar centenas, muito menos milhares de anos no futuro. "Bem-aventurado aquele que lê e aqueles que ouvem as palavras desta profecia, e acatam as coisas que nela estão escritas;. Porque o tempo está próximo" (Apocalipse 1: 3) "E ele me disse: 'Estas palavras são fiéis e verdadeiras', e o Senhor, o Deus dos espíritos dos profetas, enviou o seu anjo para mostrar aos seus servos as coisas que em breve tomar lugar." "E eis que venho sem demora. Bem-aventurado é aquele que atende as palavras da profecia deste livro." E ele me disse: "Não seles as palavras da profecia deste livro, porque o tempo está próximo" (Apocalipse 22: 6, 7, 10, 12). "Todas essas coisas hão de vir sobre esta geração" (Mateus 23:36). Schweitzer conclui que a teologia do século 1, originários das vidas daqueles que seguiram Jesus pela primeira vez, é totalmente incompatível com a crença cristã moderna.

Em The Quest do Jesus histórico , Schweitzer observa a passagem "Bem-aventurado aquele que lê e aqueles que ouvem as palavras desta profecia, e acatam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo." (Apocalipse 1: 3) Da mesma forma em St Peter: "Cristo .. Quem na verdade, foi conhecido ainda antes da fundação do mundo, mas manifesto no fim dos tempos por vós" (1 Pedro 1:20), e "Mas o fim da todas as coisas está próximo"(1 Pedro 4: 7). "Certamente venho sem demora" (Apocalipse 22:20). Schweitzer sentiu que São Paulo claramente acreditava na iminência da segunda vinda de Jesus , em contraste com o moderno cristianismo organizado.

A capa do Albert Schweitzer do misticismo do Apóstolo Paulo

O Misticismo do Apóstolo Paulo (1931)

Em O Misticismo do Apóstolo Paulo , Schweitzer primeira distingue duas categorias de misticismo : primitivo e desenvolvidos. Misticismo primitivo "ainda não subiu para uma concepção do universal, e ainda está confinado à vista ingênuas de terreno e super-terrestre, temporal e eterna." Além disso, ele argumenta que esta visão de uma "união com a divindade, provocada por cerimônias eficazes, é encontrada mesmo em religiões bastante primitivos."

Por outro lado, a forma mais desenvolvida de misticismo pode ser encontrada no mistério cultos gregos que eram populares na sociedade AD do primeiro século. Estes incluíram os cultos de Attis , Osíris , e Mithras . A forma desenvolvida de misticismo é alcançada quando a "concepção do universal é atingido e um homem reflete sobre sua relação com a totalidade do ser e Ser em si mesmo." Schweitzer afirma que esta forma de misticismo é mais intelectual e pode ser encontrado "entre os brâmanes e no Buddha , no platonismo , no estoicismo , em Spinoza , Schopenhauer , e Hegel ."

Em seguida, Schweitzer coloca a questão: "De que tipo precisa, então, é o misticismo do Paul?" Ele localiza Paul entre os dois extremos do misticismo primitivo e misticismo desenvolvido. Paul fica no alto misticismo primitivo, devido a seus escritos intelectuais, mas nunca fala de ser um com Deus ou estar em Deus. Em vez disso, ele concebe a filiação a Deus como "mediada e efetuado por meio da união mística com Cristo." Ele resume Pauline misticismo como "estar em Cristo" em vez de "ser em Deus."

Iminente de Paulo escatologia (a partir de sua experiência em escatologia judaica ) faz com que ele acredita que o reino de Deus ainda não chegou e que os cristãos agora estão vivendo no tempo de Cristo. Cristo-misticismo detém o campo até Deus, o misticismo se torna possível, que é em um futuro próximo. Portanto, Schweitzer argumenta que Paul é o único teólogo que não afirma que os cristãos podem ter uma experiência de "ser-em-Deus". Em vez disso, Paulo usa a frase "ser-em-Cristo" para ilustrar como Jesus é um mediador entre a comunidade cristã e Deus. Além disso, Schweitzer explica como a experiência de "ser-em-Cristo" não é um "participando estática no ser espiritual de Cristo, mas como o verdadeiro co-vivência de Sua morte e ressurreição." O "realista" participar no mistério de Jesus só é possível dentro da solidariedade da comunidade cristã.

Um dos principais argumentos de Schweitzer em O Misticismo do Apóstolo Paulo é que o misticismo de Paulo, marcado por sua frase "estar em Cristo", dá a pista para o conjunto da teologia paulina. Em vez de ler a justificação pela fé como o principal tema do pensamento paulino, que tem sido o argumento mais popular adiantados em Martin Luther , Schweitzer argumenta que a ênfase de Paulo era sobre a união mística com Deus por "estar em Cristo." Jaroslav Pelikan , em seu avanço para a mística do Apóstolo Paulo, aponta que:

a relação entre as duas doutrinas era bastante o contrário: 'A doutrina da redenção, que está mentalmente apropriado por meio da fé, é apenas um fragmento da mística redenção doutrina mais abrangente, que Paulo rompeu e polida para dar-lhe a refração particular que ele requer.

"Realismo" de Paulo versus "Simbolismo" helenístico

Schweitzer contrasta morte de Paulo "realista" e ressuscitar com Cristo ao "simbolismo" do helenismo . Embora Paul é amplamente influenciado pelo pensamento helenístico, ele não é controlado por ele. Schweitzer explica que Paul focado na ideia de comunhão com o ser divino através da "realista" morrer e ressuscitar com Cristo em vez do "simbólico" ato helenística de se tornar como Cristo através de deificação . Depois do batismo, o cristão é continuamente renovado durante toda a sua vida devido à participação na morte e ressurreição com Cristo (principalmente através dos Sacramentos ). Por outro lado, o helenista "vive na loja de experiência que ele adquiriu na iniciação" e não é permanentemente afectado por uma experiência comum compartilhada.

Outra grande diferença entre "realismo" de Paulo e helenístico "simbolismo" é a natureza exclusiva da antiga e da natureza inclusiva do último. Schweitzer enfatiza descaradamente o fato de que "o pensamento de Paulo segue predestinação linhas." Ele explica, "somente o homem que é eleito mesma pode entrar em relação com Deus." Embora cada ser humano é convidado para se tornar um cristão, somente aqueles que tenham sido submetidos a iniciação na comunidade cristã através do batismo podem compartilhar a "realista" morrer e ressuscitar com Cristo.

Remédio

Na idade de 30, em 1905, Schweitzer responderam ao chamado da Sociedade das Missões evangelista de Paris, que foi à procura de um médico . No entanto, a comissão deste sociedade missionária não estava pronto para aceitar sua oferta, considerando sua teologia luterana ser "incorreto". Ele poderia facilmente ter obtido um lugar em uma missão evangélica alemã, mas desejava seguir a chamada original, apesar das dificuldades doutrinárias. Em meio a uma saraivada de protestos de seus amigos, familiares e colegas, ele renunciou a seu posto e re-entrou na universidade como estudante em um curso de três anos para o grau de Doutor em Medicina, um assunto em que ele tinha pouco conhecimento ou anterior aptidão. Ele planejou para difundir o Evangelho com o exemplo de seu trabalho cristão de cura, em vez de através do processo verbal da pregação, e acredita que este serviço deve ser aceitável em qualquer ramo da doutrina cristã.

Mesmo em seu estudo da medicina, e através de seu curso clínico, Schweitzer perseguido o ideal do filósofo-cientista. Pela extrema aplicação e trabalho duro, ele completou seus estudos com sucesso no final de 1911. Sua médica grau dissertação foi outro trabalho sobre o Jesus histórico, o estudo psiquiátrico de Jesus . Ele defendeu a saúde mental de Jesus nele. Em junho de 1912, ele se casou com Helene Bresslau , inspetor municipal para órfãos e filha do historiador judeu pan-germanista Harry Bresslau .

Em 1912, agora armado com um diploma de médico, Schweitzer fez uma proposta definitiva para ir como um médico para trabalhar em sua própria despesa na missão da Sociedade de Paris Missionaria em Lambaréné na Ogooué rio, no que é hoje o Gabão, na África (então uma colônia francesa). Ele se recusou a participar de uma comissão para investigar a sua doutrina, mas encontrou-se cada membro da comissão pessoalmente e foi finalmente aceito. Através de concertos e outros angariação de fundos, ele estava pronto para equipar um pequeno hospital. Na primavera de 1913, ele e sua esposa partiram para estabelecer um hospital ( Hospital Albert Schweitzer ), perto de um posto de missão existente. O site foi quase 200 milhas (14 dias por balsa) a montante da foz do Ogooué em Port Gentil ( Cabo Lopez ) (e tão acessível para comunicações externas), mas a jusante da maioria dos afluentes, de modo que as comunicações internas dentro Gabão convergiram para Lambaréné .

A área de influência do Ogooé ocupa a maior parte do Gabão. Lambaréné está marcada.

Nos primeiros nove meses, ele e sua esposa tinha cerca de 2.000 pacientes para examinar, alguns viajam muitos dias e centenas de quilômetros para chegar até ele. Além de lesões, ele foi muitas vezes o tratamento grave sandflea e feridas crawcraw, framboesia (bouba), tropicais feridas alimentares , doenças do coração, tropical disenteria , tropical malária , doença do sono , lepra , febre, estrangulada hérnias , necrose , tumores abdominais e crônico constipação e envenenamento por nicotina , ao mesmo tempo, tentar lidar com envenenamentos deliberada, fetichismo e medo de canibalismo entre os Mbahouin .

A esposa de Schweitzer, Helene Schweitzer, era um anestesista para operações cirúrgicas. Depois de ocupar brevemente um antigo galpão usado como uma cabana de frango, no Outono de 1913, construiu seu primeiro hospital de ferro corrugado, com duas salas de 13 pés (consultório e teatro operacional) e com um dispensário e esterilização quarto em espaços abaixo dos beirais largos . A sala de espera e quarto (42 por 20 pés) foram construídos, como barracas nativas, de toras brutas ao longo de um caminho 30 jardas líder do hospital para a pista de aterragem. Os Schweitzers tinham seu próprio bungalow e empregou como seu assistente Joseph, um de língua francesa Galoa ( Mpongwe ), que veio pela primeira vez como um paciente.

Após a Primeira Guerra Mundial eclodiu em julho de 1914, Schweitzer e sua esposa, os cidadãos alemães em uma colônia francesa, quando os países estavam em guerra, foram colocados sob a supervisão pelos militares franceses em Lambaréné, onde Schweitzer continuou seu trabalho. Em 1917, exausto pelo trabalho mais de quatro anos e por tropical anemia , eles foram levados para Bordeaux e internado pela primeira vez em Garaison e, em seguida, a partir de março de 1918, em Saint-Rémy-de-Provence . Em julho de 1918, depois de ser transferido para sua casa na Alsácia, ele era um homem livre de novo. Neste momento Schweitzer, nascido um cidadão alemão, tinha ex-(pré-1871) a cidadania francesa dos seus pais reintegrado e tornou-se um cidadão francês. Em seguida, trabalhando como assistente médico e assistente-pastor em Estrasburgo, avançou seu projeto sobre a filosofia da civilização, que tinham ocupado sua mente desde 1900. Em 1920, recuperando sua saúde, ele estava dando recitais de órgão e fazendo outro trabalho de angariação de fundos para pagar empréstimos e levantar fundos para retornar ao Gabão. Em 1922, ele entregou as Memorial Lectures Dale na Universidade de Oxford, e destes, no ano seguinte apareceu Volumes I e II de sua grande obra, A Decadência e restauração da Civilização e Civilização e Ética . Os dois volumes restantes, na visão de mundo de reverência pela vida e um quarto sobre o estado civilizado, não foram concluídas.

Em 1924 ele retornou sem sua esposa, mas com um estudante de Oxford, Noel Gillespie , como assistente. Tudo foi fortemente deteriorado, e construção e doctoring progredido juntos por meses. Ele agora tinha salvarsan para tratar úlceras sifilíticas e framboesia. Pessoal médico adicional, enfermeiro (Miss) Kottmann e Dr. Victor Nessmann, se juntou a ele em 1924, e Dr. Mark Lauterberg em 1925; o hospital crescendo foi ocupado por enfermeiros nativas. Mais tarde Dr. Trensz substituído Nessmann, e Martha Lauterberg e Hans Muggenstorm se juntou a eles. Joseph também retornou. Em 1925-6, novos edifícios hospitalares foram construídos, e também uma enfermaria para pacientes brancos, para que o site tornou-se como uma aldeia. O início da fome e uma epidemia de disenteria criou novos problemas. Grande parte do trabalho de construção foi realizada com a ajuda de pessoas locais e pacientes. Avanços da droga para a doença do sono incluído Germanin e triparsamida . Trensz conduzidos experimentos que demonstram que a estirpe não-amebiana da disenteria foi causado por um paracholera vibrion (bactérias anaeróbias facultativas). Com o novo hospital construído ea equipe médica estabelecida, Schweitzer retornou à Europa em 1927, desta vez deixando um hospital funcionando no trabalho.

Ele estava lá novamente de 1929 a 1932. Aos poucos, suas opiniões e conceitos tornou-se reconhecido, não só na Europa, mas em todo o mundo. Houve um novo período de trabalho em 1935. Em janeiro de 1937, ele voltou novamente para Lambaréné e continuou trabalhando lá durante toda a Segunda Guerra Mundial .

visualizações de Schweitzer

Colonialismo

Schweitzer considerou seu trabalho como médico-missionário na África para ser sua resposta ao chamado de Jesus para se tornarem 'pescadores de homens', mas também como uma pequena recompensa para a culpa histórica de europeus colonizadores :

Quem pode descrever a injustiça e crueldade que no decorrer dos séculos eles [os povos de cor] sofreram nas mãos dos europeus? ... Se um registro pode ser compilado de tudo o que aconteceu entre o branco e as raças de cor, ele faria um livro contendo o número de páginas que o leitor teria de virar não lida porque seu conteúdo seria horrível demais.

Schweitzer foi um dos mais duros críticos do colonialismo. Em um sermão que ele pregou em 6 de janeiro de 1905, antes que ele tinha contado a ninguém sobre seus planos de dedicar o resto de sua vida a trabalhar como médico na África, ele disse:

Nossa cultura divide as pessoas em duas classes: os homens civilizados, um título que foi dada às pessoas que fazem o classificatório; e outros, que têm apenas a forma humana, que pode perecer ou ir para os cães para os cuidados de todos os 'homens civilizados'.

Oh, essa cultura 'nobre' da nossa! Ele fala tão piamente da dignidade humana e dos direitos humanos e, em seguida, ignora esta dignidade e esses direitos de incontáveis ​​milhões e pisa-los sob os pés, só porque eles vivem no exterior ou porque suas peles são de cor diferente ou porque eles não podem ajudar a si mesmos. Esta cultura não sabe como oco e miserável e cheia de conversa glib é, quão comum olha para aqueles que segui-lo através dos mares e ver o que ele tem feito lá, e essa cultura não tem direito de falar de dignidade pessoal e humana direitos...

Não vou enumerar todos os crimes que foram cometidos sob o pretexto de justiça. Pessoas roubado habitantes nativos da sua terra, feitos escravos deles, soltou a escória da humanidade sobre eles. Pense das atrocidades que foram cometidas sobre o povo feitas subserviente para nós, como sistematicamente que arruinaram-los com os nossos 'presentes' alcoólicas, e tudo o mais que temos feito ... Nós dizimar-los, e depois, pelo golpe de uma caneta, tomamos sua terra para que eles não têm nada em tudo ...

Se tudo isso opressão e todo esse pecado e vergonha são perpetrados sob o olhar do Deus alemão, ou o Deus americano, ou o Deus britânica, e se os nossos Estados não se sentem obrigados primeiro a deixar de lado sua pretensão de ser 'Christian'- em seguida, o nome de Jesus é blasfemado e fez uma paródia. E o cristianismo de nossos Estados é blasfemado e fez um escárnio perante aquelas pessoas pobres. O nome de Jesus tornou-se uma maldição, e nosso cristianismo-o seu e minas tornou-se uma falsidade e uma vergonha, se os crimes não são expiado no mesmo lugar onde foram instigados. Para cada pessoa que cometeu uma atrocidade em nome de Jesus, alguém deve intervir para ajudar em nome de Jesus; para cada pessoa que roubou, alguém deve trazer um substituto; para todos que amaldiçoou, alguém deve abençoar.

E agora, quando você fala sobre missões, que este seja a sua mensagem: Devemos fazer expiação por todos os terríveis crimes que lemos nos jornais. Devemos fazer expiação por aqueles ainda pior, que não lêem nos jornais, crimes que estão envoltas no silêncio da noite selva ...

Paternalismo

Schweitzer foi, ainda assim, às vezes acusado de ser paternalista , colonialista e racista em sua atitude para com os africanos, e de certa forma suas visões era diferente da de muitos liberais e outros críticos do colonialismo. Por exemplo, ele pensou que a independência do Gabão veio muito cedo, sem educação adequada ou acomodação às circunstâncias locais. Edgar Berman cita Schweitzer como tendo dito em 1960: "Nenhuma sociedade pode ir da primitiva diretamente para um estado industrial sem perder o fermento que o tempo e um período agrícola permitir." Schweitzer acredita dignidade e respeito deve ser estendido para os negros, ao mesmo tempo, às vezes, caracterizando-os como filhos. Ele resumiu suas opiniões sobre as relações euro-africanas, dizendo: "Em relação aos negros , então, tenho cunhou a fórmula: 'Eu sou seu irmão, é verdade, mas o seu irmão mais velho'" Chinua Achebe criticou-o por este caracterização, embora Achebe reconhece que o uso de Schweitzer da palavra "irmão" em tudo foi, para um europeu do início do século 20, uma expressão incomum de solidariedade humana entre europeus e africanos. Schweitzer, eventualmente emended e complicada essa noção com sua declaração depois que "O tempo para falar de irmãos mais velhos e mais jovens já passou". Mais tarde na vida ele se tornou mais convencido de que a "civilização moderna" era na verdade inferior ou igual a culturas anteriores em termos de moralidade.

Jornalista americano John Gunther visitou Lambaréné na década de 1950 e relatou atitude paternalista de Schweitzer em direção africanos. Ele também observou a falta de africanos treinados para serem trabalhadores qualificados. Em comparação, seu contemporâneo Sir Albert Cozinhe em Uganda vinha treinando enfermeiras e parteiras desde a década de 1910 e tinha publicado um manual de obstetrícia na língua local de Luganda. Depois de três décadas na África, Schweitzer ainda dependia de Europa para os enfermeiros.

condições hospitalares

O jornalista James Cameron visitou Lambaréné em 1953 (quando Schweitzer era 78) e encontrou falhas significativas nas práticas e atitudes de Schweitzer e sua equipe. O hospital sofreu de miséria e estava sem as comodidades modernas, e Schweitzer tinha pouco contato com o povo local. Cameron não tornar público o que ele tinha visto na época: de acordo com uma dramatização BBC, ele tomou a decisão jornalística incomum de reter a história, e resistiu ao desejo expresso de seus empregadores a publicar uma exposição.

As más condições do hospital em Lambaréné também foram famosa criticado pelo professor nigeriano e romancista Chinua Achebe em seu ensaio sobre Joseph Conrad romance de Heart of Darkness : "Em um comentário que tem sido frequentemente citado Schweitzer diz: 'O Africano é realmente minha irmão, mas meu irmão júnior.' E assim ele passou a construir um hospital adequado às necessidades dos irmãos júnior com padrões de higiene reminiscência da prática médica nos dias que antecederam a teoria do germe da doença surgiu ".

Reverência pela vida

Schweitzer em 1955

A tônica da filosofia pessoal de Schweitzer (que ele considerava ser sua maior contribuição para a humanidade) foi a idéia de Reverência pela Vida ( " Ehrfurcht vor dem Leben "). Ele pensou que a civilização ocidental foi decaindo porque tinha abandonado afirmação da vida como a sua ética fundação.

No prefácio Civilização e Ética (1923) argumentou que a filosofia ocidental desde Descartes a Kant tinha a intenção de explicar o mundo objetivo esperando que a humanidade seria encontrada para ter um significado especial dentro dela. Mas há tal significado foi encontrado, e o otimismo racional, de afirmação da vida do Age of Enlightenment começou a evaporar. A fenda aberta entre esta visão de mundo, como o conhecimento material, ea vista de vida, entendida como Will , expressa nas pessimista filosofias de Schopenhauer em diante. Scientific materialismo (avançado por Herbert Spencer e Charles Darwin ) retratou um processo mundo objetivo desprovida de ética, inteiramente uma expressão da vontade de viver.

Schweitzer escreveu, "True filosofia deve começar a partir do fato mais imediato e abrangente de consciência, e isso pode ser formulado da seguinte maneira: 'Eu sou vida que quer viver, e eu existo no meio de vida que quer viver'" na natureza uma forma de vida deve sempre presa em cima de outro. No entanto, a consciência humana possui uma consciência, e simpatia para, a vontade de outros seres para viver. Um ser humano ético se esforça para escapar dessa contradição, tanto quanto possível.

Embora não possamos aperfeiçoar o esforço devemos nos esforçar para isso: a vontade de viver constantemente se renova, pois é tanto uma necessidade evolutiva e um fenômeno espiritual. Vida e amor estão enraizados neste mesmo princípio, em um relacionamento espiritual pessoal para o universo. Ética si procedem a necessidade de respeitar o desejo de outros seres de existir como se faz para consigo mesmo. Mesmo assim, Schweitzer encontrou muitos casos em religiões do mundo e filosofias em que o princípio foi negado, pelo menos não na Idade Média Europeia, o índio Brahminic filosofia.

Para Schweitzer, a humanidade teve que aceitar que a realidade objetiva é eticamente neutra. Ele poderia então afirmar uma nova iluminação através racionalismo espiritual, dando prioridade à vontade ou vontade ética como o principal significado da vida. A humanidade teve que optar por criar as estruturas morais da civilização: a visão de mundo deve derivar do ponto de vista da vida, e não vice-versa. O respeito pela vida, superando impulsos mais grosseiras e doutrinas ocos, leva o indivíduo a viver a serviço de outras pessoas e de todos os seres vivos. Na contemplação da vontade-de-vida, o respeito pela vida dos outros torna-se o mais elevado princípio ea finalidade essencial da Humanidade.

Tal era a teoria que Schweitzer procurou colocar em prática na sua própria vida. Segundo alguns autores, o pensamento de Schweitzer, e, especificamente, o seu desenvolvimento de reverência pela vida, foi influenciado pela religião indiana pensamento e em particular a Jain princípio da ahimsa , ou não-violência. Albert Schweitzer observou a contribuição de influência indiana em seu livro indiano pensamento e seu desenvolvimento :

O estabelecimento do mandamento de não matar e para não danificar é um dos maiores eventos na história espiritual da humanidade. A partir de seu princípio, fundada no mundo e da vida de negação, de abstenção de acção, o pensamento indiano antigo - e este é um período em que, em outros aspectos ética não têm progredido muito longe - chega a tremenda descoberta de que a ética não conhecem limites. Até onde sabemos, este é, pela primeira vez claramente expressa pelo jainismo.

vida mais atrasada

A casa Schweitzer e Museu em Königsfeld, na Floresta Negra

Após o nascimento de sua filha ( Rhena Schweitzer Miller ), esposa de Albert, Helene Schweitzer já não era capaz de viver em Lambaréné, devido à sua saúde. Em 1923 a família mudou-se para Königsfeld im Schwarzwald , Baden-Württemberg, onde ele estava construindo uma casa para a família. Esta casa agora é mantida como um museu Schweitzer.

casa de Albert Schweitzer em Gunsbach, agora um museu e arquivo
Albert Schweitzer Memorial e Museu em Weimar (1984)

De 1939-48 ele ficou em Lambaréné, incapaz de voltar para a Europa por causa da guerra. Três anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1948, ele retornou pela primeira vez para a Europa e manteve viajar e para trás (e uma vez para os EUA), desde que ele era capaz. Durante suas visitas de retorno para sua aldeia natal de Gunsbach, Schweitzer continuou a fazer uso da casa da família, que depois de sua morte tornou-se um arquivo e museu para sua vida e obra. Sua vida foi retratada em 1952 filme Il est minuit, Docteur Schweitzer , estrelado por Pierre Fresnay como Albert Schweitzer e Jeanne Moreau como sua enfermeira Marie. Schweitzer inspirou o ator Hugh O'Brian quando O'Brian visitou na África. O'Brian voltou para os Estados Unidos e fundou a O'Brian Fundação Liderança Juvenil Hugh (HOBY).

Monumento Albert Schweitzer em Wagga Wagga , Austrália

Schweitzer foi agraciado com o Prêmio Nobel da Paz de 1952, aceitando o prêmio com o discurso, "o problema da paz". De 1952 até sua morte, ele trabalhou contra testes nucleares e armas nucleares com Albert Einstein , Otto Hahn e Bertrand Russell . Em 1957 e 1958, transmitido quatro discursos sobre Radio Oslo que foram publicados em paz ou guerra atômica . Em 1957, Schweitzer foi um dos fundadores do Comitê para a Política Nuclear Sane . Em 23 de Abril de 1957, Schweitzer fez o seu discurso "Declaração de Consciência"; que foi transmitido para todo o mundo Rádio Oslo, pedindo a abolição das armas nucleares. Seu discurso terminou, "O fim de mais experimentos com bombas atômicas seria como os primeiros raios de sol da esperança que o sofrimento a humanidade está esperando."

Semanas antes de sua morte, uma equipe de filmagem americano foi autorizada a visitar Schweitzer e Drs. Muntz e Friedman, ambos Holocausto sobreviventes, para gravar o seu trabalho e vida diária no hospital. O filme O Legado de Albert Schweitzer , narrado por Henry Fonda, foi produzido pela Warner Brothers e foi ao ar uma vez. Ele reside em sua abóbada hoje na condição de deterioração. Apesar de várias tentativas foram feitas para restaurar e re-ar o filme, todo o acesso foi negado.

Em 1955, ele foi nomeado membro honorário da Ordem do Mérito (OM) pela Rainha Elizabeth II . Ele também era um chevalier da Ordem Militar e Hospitalar de São Lázaro de Jerusalém .

Schweitzer morreu em 4 de setembro de 1965, seu hospital amado em Lambaréné, agora no Gabão independente. Sua sepultura, nas margens do rio Ogooué , é marcado por uma cruz que ele mesmo fez.

Seu primo Anne-Marie Schweitzer Sartre era a mãe de Jean-Paul Sartre . Seu pai, Charles Schweitzer, era o irmão mais velho do pai de Albert Schweitzer, Louis Théophile.

Schweitzer foi um vegetarian.However, em um relato escrito pelo Dr. Edgar Berman, sugere-se que Schweitzer consumido frito fígado em um jantar de domingo em Lambaréné.

O Albert Schweitzer Fellowship foi fundada em 1940 por Schweitzer unir apoiantes dos EUA em preencher a lacuna no apoio ao seu Hospital, quando suas linhas de abastecimento europeias foram cortados pela guerra, e continua a apoiar o Hospital Lambaréné hoje. Schweitzer, no entanto, considerada a sua ética da Reverência pela Vida, e não seu Hospital, o seu legado mais importante, dizendo que seu Hospital Lambaréné era apenas "a minha própria improvisação sobre o tema da Reverência pela Vida. Todos podem ter sua própria Lambaréné." Hoje ASF ajuda a um grande número de jovens norte-americanos em campos profissionais relacionados com a saúde encontrar ou criar "seu próprio Lambaréné" nos EUA ou internacionalmente. ASF seleciona e apóia quase 250 novas EUA e África Schweitzer Fellows cada ano, de mais de 100 dos principais US escolas de medicina, enfermagem, saúde pública, e todos os outros campos com alguma relação com a saúde (incluindo música, direito e divindade). A rede ao longo da vida-apoio de pares de "Schweitzer Fellows para a Vida" contados mais de 2.000 membros em 2008, e está crescendo por cerca de 1.000 a cada quatro anos. Quase 150 desses Schweitzer Fellows ter servido no hospital em Lambaréné, por períodos de três meses durante o seu último ano de faculdade de medicina.

Prémio Internacional Albert Schweitzer

O prêmio foi concedido pela primeira vez em 29 de maio de 2011 para Eugen Drewermann eo casal médico Rolf e Raphaela Maibach em Königsfeld im Schwarzwald , onde o ex-residência de Schweitzer agora abriga o Albert Schweitzer Museum.

gravações de som

Gravações de Schweitzer tocando a música de Bach estão disponíveis em CD. Durante 1934 e 1935, residiu na Grã-Bretanha, entregando as Conferências Gifford na Universidade de Edimburgo , e aqueles em Religião na civilização moderna em Oxford e Londres . Ele tinha originalmente realizaram ensaios para gravações para HMV no órgão do antigo Salão da rainha em Londres. Esses registros não o satisfez, o instrumento sendo muito duro. Em meados de dezembro 1935, ele começou a gravar para a Columbia Records no órgão de Todos os Santos, Barking-by-the-Tower , em Londres. Em seguida, em sua sugestão das sessões foram transferidas para a igreja de Ste Aurélie em Estrasburgo, em um órgão de meados do século 18 por Johann Andreas Silbermann (irmão de Gottfried), um órgão construtor grandemente reverenciado por Bach, que tinha sido restaurado pelo Lorraine organeiro Frédéric Härpfer pouco antes da Primeira Guerra Mundial. Estas gravações foram feitas no curso de uma quinzena de outubro 1936.

A Técnica Schweitzer

Schweitzer desenvolveram uma técnica para gravar as apresentações de música de Bach. Conhecido como "O Schweitzer Técnica", é uma ligeira melhoria no que é comumente conhecido como mid-side. O lado meados vê um microfone figura 8- apontou fora do eixo, perpendicular à fonte de som. Em seguida, um único microfone cardióide é colocado no eixo, que atravessa o padrão figura-8. O sinal a partir da figura 8 é-mult-Ed, panned duro esquerda e direita, um dos sinais a ser atirada para fora da polaridade. No método de Schweitzer, a figura-8 é substituído por dois pequenos diafragma microfones de condensador apontados directamente para longe uma da outra. As informações que cada cápsula coleta é único, ao contrário da informação idêntica out-of-polaridade gerada a partir da figura-8 em um mid-side regular. O microfone no eixo é muitas vezes um grande condensador diafragma. A técnica já foi utilizada para gravar muitos instrumentos modernos.

gravações Columbia

No total, seus discos início Columbia incluiu 25 registros de Bach e oito de César Franck. Os títulos de Bach foram principalmente distribuídas da seguinte forma:

  • Rainha de Hall Prelude Organ e Fuga em Mi menor (: Edição Peters Vol 3, 10); Herzlich thut verlangen Mich (BWV 727); Wenn wir em Höchsten NOTEN sein (Vol 7, 58 (Leipzig 18)).
  • Todos os Santos : prelúdio e Fuga em C maior; Fantasia e Fuga em Sol menor (o Grande); Prelúdio e Fuga em Sol maior; Prelúdio e Fuga em F menor; Pouco Fuga em Sol menor; Toccata e Fuga em D menor.
  • Ste Aurélie : prelúdio e Fuga em C menor; Prelúdio e Fuga em mi menor; Toccata e Fuga em D menor. Prelúdio Coral: Schmücke dich, ó liebe Seele (Peters Vol 7, 49 (Leipzig 4)); O Mensch, bewein dein Sünde bruto (Vol 5, 45); O Lamm Gottes, unschuldig (Vol 7, 48 (Leipzig 6)); Christus, der uns selig macht (Vol 5, 8); Da Jesus um Kreuze dem estar (Vol 5, 9); Um Babylon Wasserflüssen (Vol 6, 12b); Christum wir wollen Loben Schon (Vol 5, 6); Liebster Jesus, hier wir sind (Vol 5, app 5); Mit Fried und Freud ich Fahr dahin (Vol 5, 4); Sei gegrüßet, Jesus Gutig (Var 11, Vol 5, app 3.); Jesus Christus, Unser Heiland (Vol 6, 31 (Leipzig 15)); Lag Cristo em Todesbanden (Vol 5, 5); Erschienen Tag ist der Herrlich (Vol 5, 15).
Gunsbach igreja paroquial, onde foram feitas as gravações posteriores

Gravações posteriores foram feitas na igreja paroquial, Gunsbach : Estas gravações foram feitas por C. Robert Fine durante o tempo Dr. Schweitzer estava sendo filmado em Gunsbach para o documentário "Albert Schweitzer." Belas originalmente auto-lançado as gravações, mas mais tarde licenciou os mestres de Columbia.

  • Fuga em um menor (Peters, Vol 2, 8); Fantasia e Fuga em sol menor (Grande) (Vol 2, 4); Toccata, Adagio e Fuga em C maior (Vol 3, 8).
  • Prelúdio em C maior (Vol 4, 1); Prelúdio em D maior (Vol 4, 3); Canzona em D menor (Vol 4, 10) (com Mendelssohn, Sonata em D menor op 65,6).
  • Coral-Preludios: O Mensch, bewein Dein Sunde bruto (1ª e 2ª versões, Peters Vol 5, 45); Wenn wir em Höchsten NOTEN sein (Vor deinen Thron tret ich hiermit) (vol 7, 58 (Leipzig 18)); Ich ruf zu dir, Herr Jesu Cristo (Vol 5, 30); Gelobet seist du, Jesus Cristo (Vol 5, 17); Herzlich verlangen tut Mich (Vol 5, 27); Nun Komm, der Heiden Heiland (vol 7, 45 (BWV 659A)).

O acima foram lançados nos Estados Unidos como Columbia Masterworks box set SL-175.

gravações da Philips

  • Bach: prelúdio e Fuga em A maior, BWV 536; Prelúdio e Fuga em F menor, BWV 534; Prelúdio e Fuga em B menor, BWV 544; Toccata e Fuga em D menor, BWV 538.
  • Bach: Passacaglia em C menor, BWV 582; Prelúdio e Fuga em mi menor, BWV 533; Prelúdio e Fuga em Lá menor, BWV 543; Prelúdio e Fuga em L maior, BWV 541; Toccata e Fuga em D menor, BWV 565.
  • César Franck: Órgão Chorales, não. 1 em E major; não. 2 em B menor; não. 3 em A menor.

retratos

Dramatizações da vida de Schweitzer incluem:

  • 1952 filme biográfico Il minuit est, Docteur Schweitzer , com Pierre Fresnay como Schweitzer
  • 1957 filme biográfico Albert Schweitzer em que Schweitzer aparece como ele mesmo e Phillip Eckert o retrata
  • O remake 1962 TV de Il est minuit, Docteur Schweitzer , com Jean-Pierre Marielle como Schweitzer
  • A 1990 filme biográfico A luz na selva , com Malcolm McDowell como Schweitzer
  • Dois 1992 episódios da série de televisão The Young Indiana Jones Chronicles ( "A África Oriental Alemã, dezembro 1916" e "Congo, janeiro 1917"), com Friedrich von Thun como Schweitzer
  • 1995 filme biográfico Le Grand blanc de Lambaréné , com André Wilms como Schweitzer
  • O filme de 2006 TV biográfico Albert Schweitzer: Chamado à África , com Jeff McCarthy como Schweitzer
  • O 2009 filme biográfico Albert Schweitzer - Ein Leben für Afrika , com Jeroen Krabbé como Schweitzer

Bibliografia

  • - (2001) [Alemão, 1906. Edição Inglês, A. & C. Black, de Londres de 1910, 1911], A Busca do Jesus histórico ; Um estudo crítico do seu progresso De Reimarus Para Wrede , traduzido por Montgomery, William , Augsburg Fortress Publishers, ISBN  0-8006-3288-5.
  • - (1905), JS Bach, Le Musicien-Poète [ JS Bach, o poeta músico ] (em francês), introdução por CM Widor, Leipzig: Breitkopf & Härtel com P. Costellot. De digitalização de texto completo .
  • - (1908), JS Bach (em alemão) (ampliada ed.), Leipzig: Breitkopf & Härtel. Tradução Inglês por Ernest Newman , com alterações e adições do autor, Londres 1911. scans Texto completo (Inglês): Vol. 1 , Vol. 2 .
  • - (1906). Deutsche und französische Orgelbaukunst und Orgelkunst [ organbuilding e órgão arte alemã e francesa ] (em alemão). Leipzig: Breitkopf & Härtel.(impressa pela primeira vez em Musik , vols 13 e 14 (5º ano)).
  • - (1948) [1911]. O estudo psiquiátrico de Jesus: Exposição e Crítica . Gloucester, Massachusetts: Peter Smith Publisher. ISBN  0-8446-2894-8 .
  • - (1912). Paul e seus intérpretes, uma história crítica . Traduzido por Montgomery, W. Londres: Adam & Charles Black.
  • - (1985) [1914]. O mistério do Reino de Deus: O Segredo do Messias e Paixão de Jesus . Prometheus Books. ISBN  0-87975-294-7 .
  • - (1922). Zwischen Wasser und Urwald [ On the Edge of the Forest Primeval ]. Traduzido por Campion, CT Londres: A. & C. Black.
  • A Decadência e da Restauração da Civilização e Civilização e Ética ( The Philosophy of Civilization , Vols I & II da obra em quatro volumes projetados mas não concluído), A. & C. Black, Londres 1923. material a partir destes volumes é reorganizado em uma compilação moderna, The Philosophy of Civilization (Prometheus Books, 1987), ISBN  0-87975-403-6
  • - (1998) [1930, 1931], a mística do Apóstolo Paulo , Johns Hopkins University Press, ISBN  0-8018-6098-9.
  • - (1931). Mitteilungen aus Lambaréné [ Mais da floresta primitiva ]. Traduzido por Campion, CT Londres: A. & C. Black.
  • - (1931). Aus Meinem Leben und Denken . Leipzig: Felix Meiner Verlag.traduzido como - (1998) [1933]. Out of My Life e Pensamento: An Autobiography . Johns Hopkins University Press. ISBN  0-8018-6097-0 .
  • - (1935). Indiano pensamento e seu desenvolvimento . Boston, Massachusetts: Beacon Press. OCLC  8003381 .
  • Afrikanische Geschichten (Felix Meiner, Leipzig u Hamburgo 1938.): Tr. Sra CEB Russell como From My Notebook Africano (George Allen and Unwin, Londres 1938 / Henry Holt, New York 1939). Edição moderna com prefácio por L. Forrow (Syracuse University Press, 2002).
  • - (4 Novembro 1954). "O problema da paz" . A Fundação Nobel . Retirado 18 de Agosto de 2017 .
  • - (1958). Paz ou guerra atômica? . New York: Henry Holt. ISBN  0-8046-1551-9 .
  • - & Neuenschwander, Ulrich (1968). O Reino de Deus e do Cristianismo primitivo . New York: Seabury Press. OCLC  321874 .
  • - (2005). Brabazon, James, ed. Albert Schweitzer: Escritos essenciais . Maryknoll, NY: Orbis Books . ISBN  1-57075-602-3 .

Veja também

Notas

Referências

Fontes

  • Schweitzer, Albert (1931), O Misticismo do Apóstolo Paulo , Johns Hopkins University Press.

Outras leituras

links externos